Eles recorreram a ciborgues para fraudar a vontade do eleitor nas urnas

Compartilhe agora!

A BBC Brasil fez uma reportagem de fôlego explicando como políticos utilizaram “ciborgues” — que é a junção de perfis falso e atividade humana — para fraudar a vontade do eleitor nas eleições de 2014.

O que a BBC Brasil fala sobre o método de fabricação de notícias falsas, as fake news, no Brasil, foi exaustivamente usado nas eleições paranaenses pelo que se convencionou chamar de “Tenda Digital” nas campanhas do governador Beto Richa (PSDB). A diferença é que a tropa de cibercriminosos do tucano eram remunerados com cargos comissionados, isto é, com recursos públicos.

Segundo a reportagem da BBC, empresas recrutam no Brasil desde as eleições de 2012 — o nosso país é pioneiro no mundo no emprego de ciborgues — exércitos para difamar adversários e elogiar aquele que está pagando a conta.

Pesquisadores dizem que houve uma evolução dos já conhecidos robôs ou bots, uma mistura entre pessoas reais e “máquinas” com rastros de atividade mais difíceis de serem detectados por computador devido ao comportamento mais parecido com o de humanos.

Philip Howard, professor do Instituto de Internet da Oxford, ouvido pela BBC Brasil, vê os ciborgues como “um perigo para a democracia”. “Democracias funcionam bem quando há informação correta circulando nas redes sociais”, afirma, colocando os fakes ao lado do problema da disseminação das fake news, ou seja, notícias falsas.

Dentre os políticos que teriam recorrido aos robôs, além de Richa, estariam os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Renan Calheiros (PMDB-AL) e o atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Com informações da BBC Brasil

Compartilhe agora!

Comments are closed.