Estadão retoma tese do fim da gratuidade no ensino superior no Brasil

“Para cortar gastos sem prejudicar os mais pobres, o governo deveria acabar com a gratuidade do ensino superior”, destaca o Estadão nesta terça (21), atribuindo a ingerente tese ao Banco Mundial, embora seja essa uma antiga aspiração neoliberal da mídia brasileira.

A conversa é mesma de sempre, que remonta à época de Fernando Henrique Cardoso, nos anos de 1990, tempo de ofensiva contra políticas públicas do Estado Social.

Ao dar azo à proposta do fim de gratuidade no ensino superior no país, o Estadão concorda com a mesma.

A ideia seria decretar o fim da gratuidade nas universidade e institutos federais, bem como nas estaduais, portanto a comunidade universitária que fique esperta com esse debate ideológico proposto pelo “mercado” e pelos rentistas.

“Uma reforma poderia economizar aproximadamente R$ 13 bilhões ao ano nas universidades e institutos federais. No nível estadual, a economia poderia ser de R$ 3 bilhões”, destaca o jornalão, sem, no entanto, dizer que o superávit seria para garantir o pagamento dos juros.

Ainda, conforme o Estadão, sempre colocando na conta do Banco Mundial, a extinção da gratuidade aumentaria a quantidade de alunos por professor nessas instituições. “A proposta é não repor os professores que deixam o sistema. Só com isso, a economia seria de R$ 22 bilhões”, diz o texto.

A principal proposta para enxugar gastos nessas esferas é aumentar a quantidade de alunos por professor. O estudo diz que a quantidade de estudantes está caindo devido à redução das taxas de natalidade, nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A proposta é não repor os professores que deixam o sistema. Só com isso, a economia seria de R$ 22 bilhões.

A matéria afirma ainda que os gastos do governo com ensino superior são equivalentes a 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e crescem, em termos reais, 7% ao ano, acima da média mundial. Um tremendo papo furado, como revelam os números de outros país e a “PEC do Teto” que congelou os investimentos pelos próximos 20 anos.

Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil investe quase US$ 11,7 mil (R$ 36 mil) por aluno do ensino superior. A média nos países da OCDE é de US$ 16,1 mil, puxada por despesas mais elevadas de países como os Estados Unidos, Noruega, Luxemburgo e Reino Unido.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Pingback: Grande mídia diz que professores “ganham bem” no Brasil e tem “privilégios” demais – Falandoverdades

  2. VÃO MORRER..

  3. Sou totalmente a favor da iniciativa. Até porque quem estuda nas Universidades Federais e Estaduais, são os filhos da pseudo-elite tupiniquim, ou seja, os mais abastados. Mas não significa que ter dinheiro, quer dizer ter educação e principalmente cultura. Em sendo assim, sou a favor de que os cursos nestas Universidades pagos. Parabéns aos batedores de panelas e aos yellow duck.

  4. Esse monte de bost…a travestido de jornal, ressurgiu do esgoto para defender os ricos nas faculdades.
    Jornalismo feito na latrina, para agradar a elite mais suja do mundo, a Brasileira.

  5. Covardes sempre tramando contra povo.

  6. Eles não falam que na Noruega um lixeiro ganha mensalmente R$ 10.000,00 por mes, tem saude e educação gratuita para ele e a família e outros beneficios como aposentadoria integral.

  7. São umas tralhas mesmo essas oligarquias bandidas e atrasadas que se acham donas do Brasil! Enquanto entregam de graça do nosso pre-sal, do conteúdo local, da proteção ambiental, doando às petroleiras dos gringos, ingleses, dinamarqueses, etc, ocasionado trilhões de prejuízos ao Brasil e brasileiros e esses monstros vem com essa conversa fiada?????????????!!! Os serviços prestados pelas universidades públicas ao Brasil não se referem tão somente aos seus alunos, mas à pesquisa científica, serviços diversos prestados às comunidades,etc. Além do mais pagamos muitos impostos no Brasil. Portanto fazemos jus ao ensino público como um todo gratuito e de qualidade!!! Abaixo o lixo de Estadão! Golpista de primeira hora! Pq esse lixo de veículo precisa então de verba pública???? Qual é o serviço que prestam além de contribuir com a destruição do Brasil nação! Eles gostam mesmo é de andar de joelhos e nos querem assim também!! Hipócritas!!!

  8. O que é bom para eles é ruim para o Brasil.

  9. Quantos dinheiros os comentaristas formadores de Opiniões de Educação Pública do jornaleco estão levando por fora na Suíça do Objetivo e do Positivo?