Do jeito que o Bolsonaro gosta: CCJ do Senado libera posse de arma de fogo na zona rural

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) deve estar feliz da vida pela aprovação, na CCJ do Senado, do projeto que libera posse de arma de fogo para moradores de zona rural.

A proposta do senador Wilder Morais (PP-GO) será enviada diretamente para Câmara, antes da sanção de Michel Temer.

Bolsonaro tem dito país afora que “todo cidadão vai ter uma arma de fogo dentro de casa”, se ele for eleito.

A mais recente frase do parlamentar — “policial que não mata não é policial” — diz respeito à segurança pública.

Bolsonaro deveria prestar atenção nas chacinas dos estadunidenses, que adotam a tese de tolerância zero, e, pouco mais à frente, na cordialidade dos canadenses que adotam a polícia comunitária.

Também são bons exemplos de polícia, que quase não mata ninguém, os países Nórdicos e até mesmo Portugal, que, tragicamente, neste ano matou apenas uma pessoa e era uma brasileira.

Em 1999, Bolsonaro Bolsonaro defendeu o fuzilamento do presidente Fernando Henrique e revelou desprezo pelas eleições diretas: “Através do voto, você não vai mudar nada neste país. Nada, absolutamente nada. Você só vai mudar, infelizmente, quando nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. E fazendo um trabalho que o regime militar não fez. Matando 30 mil, e começando por FHC”.

Comentários encerrados.