27 de novembro de 2017
por esmael
15 Comentários

Lava jato assume partidarização ao propor ‘batalha final’ nas eleições de 2018

Os procuradores da República assumiram a essência partidarizada da operação lava jato, nesta segunda-feira (27), ao lançarem uma carta na qual defendem uma ‘batalha final’ nas eleições de 2018.

27 de novembro de 2017
por esmael
9 Comentários

Veja essa: No trabalho intermitente é o empregado que paga para trabalhar

Até o Estadão ficou condoído com a situação dos trabalhadores intermitentes, que, pelas regras de recolhimento da contribuição previdenciária, poderão ganhar menos que um salário mínimo vigente no país. Ou pior: terão de pagar para trabalhar.

27 de novembro de 2017
por esmael
9 Comentários

Lágrimas de crocodilo: OAB grita contra “antidemocráticas” reformas no país

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) apoiou o golpe de Estado de 2016. Agora, quase dois anos após a queda de Dilma Rousseff, a entidade grita na abertura da 23ª Conferência da Advocacia Brasileira contra o que ela considera “antidemocráticas” reformas em curso no país.

27 de novembro de 2017
por esmael
12 Comentários

“Sem ponte, não haverá Senado”

Moradores do Litoral do Paraná deverão lançar nos próximos dias uma inusitada campanha: “Sem ponte, não haverá Senado”. O recado direto é para o governador Beto Richa (PSDB), que já enrolou a comunidade na reeleição 2014.

27 de novembro de 2017
por esmael
14 Comentários

Gleisi Hoffmann: Por eleições livres e democráticas em 2018

A presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, alerta para uma nova ofensiva do golpe do Brasil: ameaçar a realização de eleições livres e democráticas em 2018. De acordo com ela, os golpistas agora falam de “parlamentarismo” com o intuito de enfraquecer e tirar poder do próximo chefe do Executivo que vier a ser escolhido pelo voto popular.

27 de novembro de 2017
por esmael
8 Comentários

Luiz Claudio Romanelli: A dura realidade de ser mulher (e negra) no Brasil

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) revela dados estarrecedores: o Brasil aparece como o quinto país do mundo mais violento para as mulheres, segundo a ONU, atrás apenas de El Salvador, Colômbia, Guatemala e Rússia; o Paraná é o terceiro estado no ranking da violência contra a mulher, tem 6,3 mulheres assassinadas por 100 mil habitantes femininas, cujo índice é maior que a média nacional.