Maluf dá “show” na defesa de Temer

O deputado Paulo Maluf (PP-SP) deu um “show” à parte na CCJ da Câmara ao defender Michel Temer (PMDB).

Na primeira parte da reunião, pela manhã, Maluf acusou o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot de ter feito “terrorismo” que afugentou investimentos.

“O que Rodrigo Janot fez em termos de terrorismo com os investimentos nacionais e internacionais para o país não tem retorno. Terrorismo sem base legal”, atacou.

Após bate-boca com o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), Maluf saiu em defesa de Temer. “Quem aqui pode levantar a mão e dizer: ‘Eu estou aqui sentando sem pedir recuso para ninguém’? [nesse momento Ivan Valente levantou a mão]. Todos pediram, eu pedi, Michel Temer pediu.”

Recentemente, o ex-prefeito e ex-governador de São Paulo foi condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão por crimes de lavagem de dinheiro envolvendo desvios de dinheiro em obras em São Paulo. Cabe recurso da decisão judicial.

Noutro momento, Paulo Maluf disse que os deputados do PT nunca receberam em suas casas o ex-presidente Lula. “Ele foi na minha casa pedir apoio”, provocou.

A CCJ da Câmara analisa o parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG). Acompanhe ao vivo:

10 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Sr ministro do STF,por favor autorize mande os MILITARES assumir o BRASIL porque a coisa vai ficar feia,isso ja é uma quadrilia.

  2. Pingback: Maluf dá “show” na defesa de Temer | BRASIL S.A

  3. Só no Brasil um sujeito como este não está preso. A política, aqui, virou refúgio de criminosos.

  4. Se gritar pega ladrão não fica um…..é bem isso todos com rabo preso um bando de sanguessuga.

  5. Com o “apoio” de um sujeito desses, ninguém mais precisa de inimigos!

  6. Se o “çupremo” se demitiu de sua missão existencial que é a defesa intransigente da Constitiçao Federal (pelo contrário, é o primeiro a desacatá-la como no caso da presunção de inocência), pra quê deveríamos manter uma instituição tão cara aos cofres públicos?

  7. É o País da piada pronta.
    Eu roubo mais faço.
    Um ladrão defendendo o outro.
    Um já condenado, o outro esperando a vez.
    Para os dois, o que fazem é absolutamente normal, pois foram criados dessa forma.