Leilões do pré-sal arrecadaram menos que Temer torrou para ficar no cargo

O cinismo não tem limites, pois o governo comemora arrecadação a merreca de R$ 6,15 bilhões nos leilões do pré-sal. O diabo é que Michel Temer torrou R$ 32 bilhões para ficar no cargo, segundo os dados mais conservadores.

Até o mais beócio comedor de alfafas é capaz de fazer essa conta: Temer abriu mão da soberania energética do país por um valor cinco vez menor do que ele torrou para “convencer” os deputados a arquivarem a denúncia por crime comum na Câmara.

Os dois leilões de áreas do polígono do pré-sal das bacias de Santos e Campos, constantes da 2ª e 3ª rodadas realizados hoje (27) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) conseguiram arrecadar para os cofres da União R$ 6,15 bilhões em bônus, vendendo seis dos oito blocos ofertados – o equivalente a 75% de toda a área ofertada.

A comemoração do governo acerca do “sucesso” nos leilões é apenas parte cínica dessa criminosa venda do petróleo brasileiro a preço de bananas.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) denunciou que esses leilões não têm validade, são nulos, porque a ação que cassou a liminar suspendendo o pregão não foi protocolada. “Fere de morte o devido processo legal”, disse.

Requião reafirmou que “os compradores do leilão de pré-sal serão tratados como receptadores de mercadoria roubada quando um governo nacionalista voltar ao poder” .

Comentários encerrados.