Cornélio Procópio estarrecida com título de cidadão honorário a irmão de Beto Richa

Conta o jornalista e blogueiro Odair Matias que o município de Cornélio Procópio, Norte Pioneiro, está em choque com o título de cidadão honorário concedido ao secretário de Estado da Infraestrutura Pepe Richa, irmão do governador Beto Richa (PSDB), também delatado na lava jato.

Abaixo, leia a matéria do blogueiro procopense Odair Matias:

Irmão do governador, delatado na “Lava a Jato”, deverá receber Título de Cidadão Honorário em Cornélio Procópio

No último sábado, 23, em entrevista a emissora de rádio FM 104, o vereador Luiz Carlos Amâncio, (PSDB) informou que, possivelmente ainda este ano, (2017) a Câmara municipal, fará a outorga de Título de Cidadão Honorário, ao irmão do governador Beto Richa, Secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, José Richa Filho, conhecido como “Pepe Richa.”

A informação veiculada em emissora de grande audiência, causou espanto ao cidadão comum na cidade. “Pepe Richa, não é aquele que está sendo investigado pela Operação Lava Jato”? Questionaram.

O futuro Cidadão Honorário de Cornélio Procópio, foi delatado pelo diretor de relações institucionais da empresa J&F Holding, que controla o Grupo JBS, Ricardo Saud.

O delator declarou em seu depoimento à Procuradoria-Geral da República que, entregou R$ 1 milhão em dinheiro vivo para o irmão do Governador do Paraná. Segundo Saud, essa quantia foi usada para a campanha de reeleição do governador Beto Richa, em 2014.

Pepe Richa negou ter recebido dinheiro de Saud. “Repudio as falsas afirmações a mim dirigidas pela pessoa do “delator” da JBS Ricardo Saud, de quem não recebi dinheiro algum”, diz trecho da nota divulgada pelo secretário.

De qualquer forma, esta a notícia,veiculada em maio deste ano, foi ignorada pela maioria da mídia em Cornélio Procópio e pelo jeito, também pelo vereador Luiz Carlos Amâncio, que pertence a base aliada do prefeito Amim Hannouche, amigo pessoal de Beto e Pepe Richa.

O projeto proposto pelo vereador procopense e aprovado pelos vereadores da gestão anterior, (2015) carrega a justificativa de que, o então secretário Pepe Richa, foi fundamental em conquistar para a nossa região, a obra de duplicação da BR 369.

Levando em consideração que o projeto protocolado pelo vereador Luiz Carlos Amâncio, foi aprovado em 2015, e naquela oportunidade, o irmão do governador ainda não havia sido denunciado; entendemos que foi um erro de julgamento de Amâncio.

Porém, com o irmão do governador (Pepe Richa) ocupando espaço em rede nacional como denunciado na Lava Jato, e até o momento, a duplicação da BR 369, nada mais é do que um engodo, uma verdadeira lenda regional, entregar a ele o Título de Cidadão Honorário de Cornélio Procópio, é de péssimo gosto e afronta todos os demais cidadãos honorários que já receberam a outorga no município.

Outro Lado

Em contato com o vereador, Luiz Carlos Amâncio o mesmo lançou nota explicando a respeito do projeto :

Caro Odair Matias.

“O título de Cidadão Honorário ao Secretário Pepe Richa, por iniciativa nossa juntamente com o ex-vereador Vanildo, aprovado por unanimidade pela Câmara, veio na esteira da campanha intensa pela duplicação da BR 369, que havia naquele período. O investimento previsto, acima de 100 milhões de reais, justificava com sobras a propositura.

Além disso, havia a ideia, não descartada, de aproveitarmos a entrega do título para reivindicarmos outros benefícios, tais como o acesso ao Conjunto Martha Dequech e Hospital Regional, as passarelas elevadas sobre a PR 160 entre a Vila Independência e o Primavera e entre o Sibim e Avenida da Integração e a pavimentação defronte o campus da UENP. Todas essas possibilidades estavam e estão relacionadas com a Secretaria dele, assim como está o radar eletrônico na BR 369, na entrada do Jardim Panorama. Independente da entrega do título aprovado, o acesso ao Martha Dequech e ao Hospital Regional, através de trabalho do Prefeito Amin Hannouche, do Deputado Romanelli e do Secretário Pepe Richa, está garantido. Só no acesso serão mais 4 Milhões de Reais, a serem somados à pavimentação interna do conjunto recentemente entregue, acima de 1 milhão de Reais.

Não tenho o hábito de fugir das responsabilidades e assumo meus atos. A ideia continua valendo. O Secretario é do meu partido, o mesmo do Prefeito e do Governador e, simpatia política à parte é nesse governo mesmo que devemos buscar benefícios para a cidade.

O questionamento ao título ocorre por conta das denuncias recentes envolvendo o governo estadual e aqui cabem considerações. Vivemos um momento grave de descrédito absoluto da classe política e cabe à justiça comprovar denuncias e isso impede condenações antecipadas, condenações por convicção ou condenações a partir de delações premiadas pois essas, sabemos tanto nós quanto você, vem servindo também para criminosos contumazes livrarem-se de punições. Delatores, conhecidos no passado como alcaguetas e delações, precisam ser investigadas para comprovar fundamentação. Comprovadas, que gerem as punições devidas mas não podemos nós, políticos, imprensa, população de forma geral, utilizarmos procedimentos em andamento, sem sentença, para condenar ou execrar publicamente pessoas que podem vir a ser inocentadas. Do PSDB, do PT ou de que partido seja.

A demonização da classe política toda faz parte do processo que interessa a alguns e vem criando monstros como esse do golpe militar. Por pior que seja, a classe política é o contraponto, o acolchoado entre a guilhotina dos poderosos e o pescoço dos mais fracos. O país ideal das elites, da qual você também não faz parte, dispensa a presença da classe politica. Os interesses da grande mídia e de parte do judiciário, não são os nossos. Isso é trama da Casa Grande amigo Odair e nós, você incluso, fazemos parte da Senzala.”

Chegará o dia Odair, que todos teremos o saudável hábito de valorizarmos mais as coisas boas da cidade e minimizarmos, sem esconder, os problemas. Ao superdimensionarmos os problemas e minimizarmos os feitos correremos sempre o risco de sermos injustos.

Luiz Carlos Amâncio (vereador)

Comentários encerrados.