Por Esmael Morais

Janot chamava de “Bruxa” a nova procuradora

Publicado em 18/09/2017

Vilela ficou preso 76 dias, por determinação de Janot, na Operação Patmos.

Segundo o procurador, sua prisão foi motivada pela disputa interna na Procuradoria-Geral da República. Ele, que era íntimo de Janot, disse que nutria amizade com Eugênio Aragão (ex-ministro da Justiça) e apoiou a candidatura da subprocuradora que assume hoje a PGR.