Globo adota milicos como novos “queridinhos” e abandona Sérgio Moro na estrada

A força-tarefa lava jato dormiu de toca, por isso perdeu das forças armadas que já fungam no cangote de procuradores, juízes e ministros do STF.

Os milicos são agora os “queridinhos” da vez na TV Globo. Eles são usados na guerra suja que a emissora trava contra a democracia, os partidos políticos, em geral, e contra Michel Temer (PMDB), em particular.

“Coincidentemente”, pesquisa do Barômetro Político da IPSOS atesta que a reprovação ao método do juiz Sérgio Moro bateu os céus. O chefe da lava jato está em queda, segundo divulgou o Estadão.

A Globo viu que a “República de Curitiba” não era apta para ajudá-la na tarefa de tomar o poder, isto é, o judiciário é “limitado” ao fundamentalismo xiita de combate ao PT, por isso apelou aos quartéis.

O objetivo da emissora dos Marinho [também] é barrar com as baionetas — se preciso — a volta de Luiz Inácio Lula da Silva pela via democrática, qual seja o voto direto nas eleições de 2018.

A questão da derrubada de Michel Temer, aos olhos da Globo, ganhou dramaticidade porque somente a interrupção do jogo democrático segura, em 2018, o retorno dos petistas ou de um nome identificado com o campo nacionalista, desenvolvimentista, comprometido com o emprego e a renda do povo trabalhador.

Portanto, caríssimo leitor, está sendo travada uma guerra entre corporações: parlamento, executivo, judiciário, mídia. As forças armadas são mais um componente nessa disputa.

Comentários encerrados.