Por Esmael Morais

Fiep faz curso de etiqueta com Glória Kalil, enquanto a indústria padece

Publicado em 29/09/2017

Glorinha Kalil já fora notícia aqui no Blog do Esmael, em março de 2015, quando ela passou uma carraspana na burguesia brasileira que urrava e batia panelas pelo “Fora Dilma”.

“Ser chique é saber votar, não ficar incomodando os vizinhos batendo panela e gritando na janela fora Dilma”, cravou naquela época a consultora com destaque aqui nesta página.

Resgatar esse pedaço da História é fundamental porque o sistema S, da qual faz parte a Fiep, conspirou pela derrubada de Dilma Rousseff e ascensão de Michel Temer.

Dito isto, voltemos a “Maria Antonieta das Araucárias”, isto é, Campagnolo.

No mesmo momento em que a Fiep se preocupava com a “etiqueta” — o uso correto de talheres em jantares e com que roupa ir — a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), do mesmo sistema S, divulgava pesquisa mostrando que Michel Temer, com 3% de aprovação, é o pior avaliado da história do país.

Quanto a Maria Antonieta, rainha da França, ela entrou para História com a célebre frase “se não tem pão comam brioches” a despeito da miserabilidade dos súditos. A soberana acabou perdendo a cabeça em 16 de outubro de 1793.