Por Esmael Morais

URGENTE: Meirelles delatado na lava jato

Publicado em 15/08/2017

Citado em 41 delações da JBS, o dublê de ministro da Fazenda vinha sendo preservado pela velha mídia.

Agora não dá mais para segurar. Fontes fidedignas, de Brasília, informam que o material coletado pelos procuradores tem poder das bombas atômicas que destruíram Hiroshima e Nagasaki. Só que apenas um alvo: Meirelles.

Meirelles presidia o Banco Original, controlado pelo Grupo J&F, dono do Frigorífico JBS. O ministro jactava-se de que a instituição financeira era a primeira 100% digital do país.

Ainda de acordo com fontes no Distrito Federal, a PGR desistiu da delação do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) porque os procuradores obtiveram informações mais “ricas” acerca de Meirelles.

Por falar em rico, Meirelles lucrou R$ 217 milhões com a sua consultoria, em 2016, e transferiu R$ 167 milhões, na forma de dividendos, três meses antes de assumir o cargo no ilegítimo governo Michel Temer (PMDB).

Em tempo: Henrique Meirelles se tornou descartável pelo sistema financeiro haja vista o rombo de R$ 180 bilhões nas contas públicas; tal resultado compromete, inclusive, o pagamento de juros à banca e rentistas.