Oposicionista é preso ao tentar ‘vender silêncio’ a prefeito no Paraná

A política se transformou num mundo cão. A banalização da arte do impossível virou num vale tudo, coisa de delegacia, exemplo que vem de cima, lá de Brasília, donde nos chegam imagens de malas recheadas com dinheiro de propina.

Dito isto, vamos ao caso concreto ocorrido nesta quinta-feira (31) no município de Campo Magro, região metropolitana de Curitiba, que ilustra a realidade noutros mais de 5 mil municípios brasileiros.

O Nurce (Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos), da Polícia Civil, prendeu na tarde de hoje Jonas Lima, ex-candidato a vereador na cidade, no ato em que ele embolsava R$ 3 mil a título da primeira parcela de suposta propina.

Segundo o prefeito do município Claudio Casagrande (PSD), vítima da extorsão, o pedido de dinheiro mensal, pelo oposicionista, era para que ele cessasse críticas pelas redes sociais.

“Fui achacado por um oposicionista, que queria vender o silêncio”, lamentou Casagrande. “Ele tinha mais de 200 perfis fakes (falsos) com o intuito de manipular a opinião pública”.

O prefeito explicou ainda que a tentativa de extorsão do ex-candidato a vereador pelo PPS, para cessar suas críticas à administração municipal, é reflexo da péssima política que tomou conta do país. “Temos trabalho pela frente, aqui [em Campo Magro] e em Brasília”, disse, sem perder a esperança.

O município de Campo Magro tem 25 mil habitantes e fica a 19 km de Curitiba.

Comentários encerrados.