Financiamento público de campanha e distritão voltam hoje ao plenário da Câmara

A Câmara dos Deputados volta a analisar a reforma política nesta terça-feira (29).

A proposta em análise (PEC 77/03) cria um fundo público para custear campanhas eleitorais e altera as regras para eleição de deputados e vereadores.

A votação começou na última quarta-feira (23), quando os deputados decidiram votar o texto por temas.

As divergências sobre o fundo eleitoral e o novo sistema eleitoral, no entanto, podem levar os deputados a discutir outra proposta (PEC 282/16), que mantém o sistema proporcional, mas extingue as coligações entre partidos a partir de 2018 e cria uma cláusula de desempenho para as legendas.

Qualquer mudança só será aprovada se houver o voto favorável de 308 deputados, em dois turnos de votação.

Para valer já nas próximas eleições, as propostas precisam ser votadas pela Câmara e pelo Senado até o início de outubro, um ano antes do pleito.

Com informações da Agência Câmara

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Gertrudes,

    Mas o lamentável é ainda nos depararmos com gente do PT se prestando a esse papel, de Relator, nesse ambiente desqualificado da Câmara………………., em achar que ainda há saída para o imbroglio que os Golpistas submeteram o País………………!!!!!

    Alguém tem que ligar o despertador para mesmo essa atual Direcãop do PT e alertá-los que não há mais saída pela via Parlamentar…………….!!!!!

    Agora é bola ou búlica………………..; essa turma não veio para brincar……………….; não deixarão pedra sobre pedra…………….; veja agora esse CRETINO processo de PRIVATAGEM anunciado…………………!!!!!

  2. É preciso que sejam barrados. Cruzes!

  3. Certo fica que o contribuinte ira pagar a conta! O cabo de guerra é só para ganhar tempo e consolidar os ganhos financeiros almejados. Fica visível o absurdo interesse quem vai pagar e o sistema que irá possibilitar a empreitada, sem mexer nas posições dos partidos e seus números que estão esperando a volta da odisseia!

    • Esse é mais um legado do PT. Não fizeram, em 13 anos, as reformas necessárias. Por pura pilantragem e compra de apoio dos nossos eficientes deputados.
      É o que digo, ficam com o discurso fácil, mas de concreto só boletos para pagarmos…repetimos os mesmos assuntos faz 200 anos sem que haja solução.
      E como cereja do bolo, nos deixaram de legado além dos boletos, o vice da gerentona.