Chico Pinheiro, da Globo, explica a ‘crise na Venezuela’ para comedores de alfafa

O jornalista Chico Pinheiro, da bancada do Bom Dia Brasil, na Globo, usou o Twitter para explicar didaticamente a crise na Venezuela para os comedores de alfafa.

Chico postou uma charge em que um burguês [ou seria Michel Temer?] aponta para o trabalhador dizendo “Olha a Venezuela”, enquanto mete a mão no bolso do desavisado.

O post didático do jornalista global é um ‘tapa na cara’ daqueles que ficam a gritar ‘Fora Maduro, Fora Maduro’ ao passo que o Estado Social vai sendo desmontado no Brasil.

Já foi dito aqui antes, neste Blog do Esmael, que a crise na Venezuela é mais uma tentativa de golpe na América Latina.

41 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Pingback: Blog do Esmael

  2. Pingback: O orquestrado ataque misógino a Gleisi – Ceilândia em Alerta

  3. Vide AS DEZ ESTRATÉGIAS PARA A MANIPULAÇÃO E O CONTROLE DA OPINIÃO PÚBLICA
    1 – DISTRAÇÃO
    Um dos principais componentes do controle da opinião pública é a estratégia da distração fundamentada em duas frentes:
    Primeiro, desviar a atenção do público daquilo que é realmente importante oferecendo uma avalanche de informações secundárias e inócuas, que como uma cortina de fumaça esconde os reais focos de incêndio.
    Em segundo, distrair o público dos temas significativos e impactantes tanto na área da economia quanto da ciência e tecnologia (tais como psicologia, neurobiologia, cibernética, entre outras).
    Quando mais distraído estiver o público menos tempo ele terá para aprender sobre a vida e/ou para pensar.

  4. Esse aí, é o mais legítimo representante da mídia mais fascista que existe.
    Um pulha, que só fala merd…a
    O pior é que os coxinhas adoram esse lixo, e aí ele se acha…
    Bem, lixo e coxinhas sempre foram sinônimos, então tá tudo certo.

  5. Baixou o nível das discúções aqui no brógue do esmael kkkkk Só falam em Cú hahahahahahah

  6. Meu patrão mandou eu dizer que esse Chico Pinheiro só pode ser um petista infiltrado, para denegrir a imagem dos meus santos patrões.
    Ele esta querendo tirar mais uma cortina de fumaça que usamos para abafar as cagadas, digo as boas ações dos nossos lindos chefes.

  7. Esmael, há alguns comedores de alfafa comentando aqui. Acho que eles não entenderam, mesmo com o Chico Pinheiro sendo didático.

  8. Aos diabos vc é seu estado social seu babaca Esmael.

  9. A Venezuela é um paraíso. Foi decidido na plenária da subsecção norte da zonal Santa Felicidade do PT que isso deveria ser repetido.
    Gente completamente fora da casinha.

  10. Esse apartidario trabalha duas vezes por semana, no terceiro ou quarto andar do Iguaçu?

  11. Antes de falar qualquer coisa sobre a Venezuela é necessário conhcer sua história, ela não é comunista, estar defendendo seus recursos naturais(petróleo).

  12. Tirando o foco do golpe maiusculo no brasilsinho

  13. KKKKKKKKKKKK…..essa tem que ser muito retardado mesmo pra acreditar.
    Vergonha na cara foi embora faz tempo faz tempo hein Esmael.

  14. O MM. Juiz Dr. Sérgio Moro em 07.08.17 emitiu sentença sobre a Operação Sinapse, e se manifesta em relação ao Prof. Dr. Irineu Mario Colombo, ex-Reitor do IFPR, que solicitou a investigação na EAD em 2011, no exercício do cargo, da seguinte maneira: “(…) absolver, nos termos do art. 386, VII, do CPP, de todas as imputações contidas na denúncia…”, conforme AÇÃO PENAL Nº 5037410-53.2013.4.04.7000/PR da Justiça Federal.
    Isso representa dizer que o ex-Reitor legitimamente eleito pela comunidade do IFPR, no exercício do seu mandato, foi humilhado e execrado por lideranças políticas e sindicais conservadoras, mas ditas progressistas, com todas as formas de pressão e articulações para a suspensão do seu mandato na formação de opinião pública interna, devido a interesses de grupos.
    Retifique-se: o ex-Reitor Irineu Colombo denunciou o esquema das Oscips em parceria com a EAD do IFPR em 2011 ocasionando a investigação chamada Operação Sinapse: foi afastado do cargo por força judicial, transformado em réu e com uma exposição pessoal, familiar e profissional humilhante pelo motivo de ter elaborado um livro paradidático para a EaD, de acordo com a solicitação pedagógica, tendo recebido pró-labore pela autoria no valor de R$ 3.118,30. Esse foi o motivo que injustamente fora afastado do IFPR. Mesmo alegando que se tratava de um valor recebido por conta de um trabalho feito, foi tratado com culpa e julgado antes da hora. Além disso, humilhado, desonrado e marginalizado no meio escolar/acadêmico e na Rede Federal pela sua visibilidade à época.
    Em tempos hodiernos em que as relações e as informações tornam-se fulgazes e líquidas, injustamente o afastaram do cargo e o desqualificaram em uma trajetória profissional e acadêmica enquanto servidor público federal desde 1991. Colombo é Pós-Doutor em História da Educação (UFPR) e Doutor em História Social (UnB). Atualmente é professor de História do campus Pinhais, mas tem larga experiência profissional no magistério. Foi vereador, deputado estadual e deputado federal sendo relator responsável pela aprovação da transformação do CEFET/PR em Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR); no congresso foi relator do Programa Universidade para Todos (Prouni). Ocupou cargos de relevância no MEC; criou a Diretoria de Articulação e Projetos Especiais. Foi responsável pela implantação da supervisão ao Programa de Expansão da Educação Profissional (PROEP). Foi responsável pela concepção e implantação do Programa Brasil Profissionalizado, para apoiar melhoria na gestão, formação, avaliação e construção de novas escolas técnicas de nível médio aos estados brasileiros. Ajudou na elaboração do projeto que criou os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, tendo participação direta na criação do Instituto Federal do Paraná, Instituto Federal do Mato Grosso do Sul e no Instituto Federal de Rondônia. Além disso, pela sua atuação no MEC, na gestão da expansão da Educação Profissional e Tecnológica, foi agraciado pelo Ministério com uma das mais altas comendas, a Medalha Nilo Peçanha em 15/12/2010. Há também questões que poucas pessoas sabem: durante sua estada no MEC foi o relator da criação do IFAL e do “IFPR”.
    Possui erros e dificuldades como qualquer gestor, mas manteve-se sempre honesto e íntegro. Porém, é certo que muitas dificuldades marcaram sua gestão desde greves a escassez de recursos entre outros, como resultado de todo processo educacional, pois há muito que ser feito. O Instituto é uma autarquia dinâmica, em construção, voltado à sociedade enquanto bem coletivo e público. No entanto, algumas conquistas coletivas sob seu comando são importantes registrar, mesmo com momentos tão conturbados da sua gestão: organizou e elaborou o conjunto de normativas e documentos institucionais do IFPR; criou e regulamentou conselhos, comitês, comissões e demais instâncias de gestão participativa e democrática; ampliou para 25 unidades ou campi tornando-se um dos maiores e mais influentes da Rede; construiu e entregou 18 prédios escolares em fase final de acabamento à época; instituiu o maior programa de acervo bibliográfico de referência na Rede; cedeu e regulamentou a estrutura predial e a sede do campus Curitiba; estabeleceu a política de inclusão com 80% de vagas para cotistas sendo a maior referência de inclusão na Rede à época; manteve e ampliou Programas sociais aos movimentos sociais, entre várias parcerias, como o ARCAFAR; equipou com recursos financeiros a infraestrutura e equipamentos dos laboratórios dos cursos técnicos e tecnológicos e de licenciaturas nos diferentes eixos e áreas em todo Instituto; fez inúmeras parcerias no interesse público, desde a capacitação, o incentivo à pesquisa entre outros; autorizou a criação de cursos com simultaneidade, de acordo com o itinerário formativo, dos cursos FIC à pós-graduação; criou o maior Programa de bolsas e auxílios que o IFPR já disponibilizou aos estudantes pela Assistência Estudantil; implantou as políticas de inovação no IFPR e os eventos do SE²PIN, Encontros de Organização do Trabalho Pedagógico da PROENS, GT Pessoas e uma gama de eventos ocorridos durante a gestão; fez concursos em todas as áreas ampliando majoritariamente o número de servidores e concedeu DE, no direito de todos os servidores docentes à época, entre muitas outras ações.
    Portanto, nos autos, antes da sentença final expressa pelo DD. Sr. Juiz o próprio Ministério Público Federal destacara que “o pagamento em questão teve causa lícita, motivo pelo qual pede-se a absolvição”. Neste momento é com alegria, que se dirige a comunidade escolar e acadêmica do IFPR, apesar do imenso atraso e sofrimento pessoal, familiar e transtornos profissionais, para comunicar por transparência que a Justiça Federal emitiu sentença sobre a Operação Sinapse absolvendo-o completamente e reparando injustiça.⁠

  15. Com certeza o Maduro está dando um golpe e faz tempo. Não vê quem não quer…

  16. Tem razão, abiguinho. Kkkkkkk

  17. Realmente tem que explicar para ver se os apoiadores dos criminosos do PT entendem.

  18. Globosta teve suas portas fexadas na Venezala depois de ter sido a prostituta do chavismo levou um pé no rabo vil que os comunistas são um esgoto

  19. Não é “gopi” não. “Gopi” foi o que o PT aplicou no Brasil com seu esquema de corrupção.
    A Globo não inventou nada, os relatos são dos milhares de venezuelanos que procuram refúgio no Brasil entrando pela fronteira de Roraima fugindo de seu país natal.
    Deve ser pelos mesmos motivos que cubanos arriscam suas vidas pra fugir daquela ilha de prisioneiros onde impera o regime totalitário dominado por ditadores.