Ataque terrorista suspende sessão da Assembleia Constituinte da Venezuela; acompanhe ao vivo

Publicado em 6 agosto, 2017

Diosdado Cabello, vice-presidente do PSUV, partido que está no poder na Venezuela, anunciou o restabelecimento da ordem após o ataque terrorista deste domingo (6). Ato contínuo, a Assembleia Constituinte suspendeu a sessão que estava prevista para hoje, quando seria instalada a chamada “Comissão da Verdade” para começar a estabelecer responsabilidades por fatos violentos nas manifestações contra o governo, que acusa a oposição.

Da TVi24

O vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) e “número dois” do regime, Diosdado Cabello, disse este domingo (6) que houve um ataque “terrorista” numa base militar de Paramacay, na cidade de Valencia.

O braço-direito do presidente Nicólas Maduro relata, na rede social Twitter, que “as tropas agiram rapidamente para controlar a situação na base de Paramacay”, situada no estado Carabobo, no centro-norte da Venezuela.

Pelo menos 20 militares tomaram o controlo de parte da Base de Paramacay. A liderá-los estava um capitão da Guarda Nacional da Venezuela chamado Juan Caguaripano.

Testemunhas, citadas pela agência Reuters, dizem ter ouvido tiros no local e vídeos amadores mostram a deslocação de carros de combate.

O grupo revoltoso publicou um vídeo em que diz estar a lançar uma revolta contra o presidente Nicólas Maduro. O líder do grupo exige a convocação de eleições antecipadas e a formação de um governo de transição. Para estes militares, a rebelião é legítima e visa restaurar a ordem constitucional.

O vice-presidente do PSUV referiu-se ao incidente como um “ataque terrorista”. Horas depois, o mesmo Diosdado Cabello anunciou que a “situação irregular” estava resolvida e que vários “terroristas” tinham sido detidos.

Abaixo a informação da agência EFE , via Agência Brasil, sobre a suspensão da sessão da Assembleia Constituinte:

Assembleia Constituinte da Venezuela suspende sessão marcada para hoje

A Assembleia Constituinte da Venezuela suspendeu a sessão que estava prevista para este domingo (6), quando seria instalada a chamada “Comissão da Verdade” para começar a estabelecer responsabilidades por fatos violentos nas manifestações contra o governo, que acusa a oposição. As informações são da Agência EFE.

A suspensão da segunda sessão da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) formada apenas por aliados do presidente Nicolás Maduro foi decidida depois da rebelião ocorrida hoje na Brigada 41 de Blindados do Batalhão Paramacay, na cidade de Valencia, um evento que, segundo o governo, já foi controlado pelas Forças Armadas. Por enquanto, a ação deixou uma pessoa morta, uma gravemente ferida e sete detidas.

A suspensão da reunião foi confirmada por fontes da Assembleia, que tomou posse na sexta-feira no Palácio Federal Legislativo, em Caracas, e que começou a trabalhar ontem. O primeiro ato foi a destituição da procuradora-geral venezuelana, Luisa Ortega Díaz, que tinha denunciado a Constituinte como uma tentativa de instaurar “um sistema totalitário”.

Conforme anteciparam o presidente e vários integrantes da ANC – eleita em 30 de julho com a rejeição da oposição e da maioria dos países ocidentais – a Comissão deverá “acabar com a impunidade” de quem, segundo o governo, promoveu o “terrorismo” no país.

O próprio Maduro ameaçou com pena de prisão alguns líderes opositores por terem convocado as manifestações contra ele e contra a Constituinte. Os protestos, que acontecem desde o início de abril no país, já deixaram ao menos 121 pessoas mortas.

Comments are closed.