As delações são parte de uma ‘mentirosa’ e ‘rentável’ indústria na lava jato, diz autor da CPI da lava jato

Sem o costumeiro alarde na velha mídia, analistas do TCU atestaram que Dilma Rousseff não teve responsabilidade sobre a compra da refinaria de Pasadena (EUA). O comportamento, por óbvio, bastante diferente quando da acusação…

O diabo é que para se livrarem da prisão e falarem o que procuradores queriam ouvir, satisfazer o desejo político da força-tarefa lava jato, delatores mentiram sobre o envolvimento da presidente eleita no negócio.

A afirmação acima é do o deputado Wadih Damous (PT-RJ), que articula uma CPI no Congresso Nacional para investigar o que ele considera uma ‘mentirosa’ e ‘rentável’ indústria que funciona nas masmorras de Curitiba.

De acordo com auditores do Tribunal de Contas da União, o Conselho da Petrobras só aprovou a compra de Pasadena na primeira fase porque não tinha todas as informações.

“Note-se que a carta de intenções não era vinculante para a companhia porque o Conselho de Administração não deliberou, no mérito, sobre a aquisição dos 50% remanescentes de Pasadena”, diz o texto dos auditores. “Assim sendo, não há que se falar em responsabilização de seus membros nestes autos”.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, lamentou que esse tipo de notícia não tenha destaque na grande mídia. “O que ganhou os noticiários em horário nobre por meses, acusando-a de envolvimento, agora, ao ser inocentada, vai ter uma nota de rodapé para dar tom de imparcialidade… E olha lá!”, lamentou.

Se os delatores mentiram no caso de Dilma, Damous acredita que eles [delatores] também o fizeram em outros casos. Ou seja, o parlamentar acredita que muitos devem estar presos pela lava jato sem provas com base em depoimentos mentirosos. E é isto que a ‘CPI do Sérgio Moro’ quer investigar.

Quem é contra a luz, isto é, a investigação? Alguém tem algo a esconder? Portanto, seja bem-vinda a comissão de investigação no Congresso Nacional.

Abaixo, assista ao trecho do vídeo em que Damous anuncia a articulação da CPI no Congresso:

Comentários encerrados.