Moro torce o nariz para Lula, que recorre ao TRF-4

Publicado em 18 julho, 2017
Compartilhe agora!

O juiz Sérgio Moro desconsiderou os “embargos de declaração” dos advogados do ex-presidente Lula, que agora apela para o TRF-4 para anular sentença que o condenou ao banimento da vida pública e a 9 anos e meio de cadeia.

Moro afirmou em despacho que os embargos de declaração servem para obter esclarecimentos quanto a eventuais omissões, contradições ou obscuridades, e não para impugnar a sentença.

O magistrado da lava jato torceu o nariz para os advogados de Lula concluindo: “devendo a defesa apresentar os seus argumentos de impugnação da sentença em eventual apelação e não em incabíveis embargos”.

Na verdade, o juiz tem a chance nos embargos de declaração de corrigir eventuais erros na sentença e pérolas como aquela anotada pelo Blog do Esmael: “308. Não se está, enfim, discutindo questões de Direito Civil, ou seja, a titularidade formal do imóvel, mas questão criminal, a caracterização ou não de crimes de corrupção e lavagem. Não se deve nunca esquecer que é de corrupção e lavagem de dinheiro do que se trata.”

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) traduziu esse trecho da sentença de Moro: “Não importa de quem é o triplex, o que importa é condenar Lula a todo o custo”.

Moro condenou Lula ao banimento político na semana passada mesmo não tendo provas, cuja sentença “não foi endossada publicamente por ninguém” sério do mundo jurídico — como bem lembrou o jornalista Luís Nassif.

A desmoralização de Sérgio Moro é tal que o professor argentino Eugenio Raúl Zaffaroni compara a lava jato como parte do “Plano Condor” do judiciário nas Américas.

Já a mídia internacional vê os juízes tomando o poder de assalto no Brasil ao proibir que Lula se candidate nas eleições de 2018.

Compartilhe agora!

Comments are closed.