Golpe de Temer e Maia põe Brasil de volta no mapa da fome da ONU

Segundo a ONU, três anos depois de o Brasil sair do mapa mundial da fome da organização, esse fantasma voltou a assombrar famílias. O período coincide com o do golpe de Estado que alçou os sem-voto Michel Temer (PMDB) e Rodrigo Maia (DEM-RJ) ao poder.

Reportagem n’O Globo, deste domingo (9), ressalta que isso significa ter 5% da população sem se alimentar o suficiente. Em número absolutos, são 10 milhões de pessoas famintas no país.

O alerta é de relatório produzido por um grupo de mais de 40 entidades da sociedade civil, que monitora o cumprimento de um plano de ação com objetivos de desenvolvimento sustentável acordado entre os Estados-membros da ONU, a chamada Agenda 2030.

A fome no golpe de Temer e Maia voltou na garupa de 14 milhões de desemprego. Portanto, não é peça de ficção quando se lamenta a volta de crianças e ambulantes aos semáforos nas grandes cidades. Nos governos do PT, era de pleno emprego, a mendicância e o desespero das famílias tinham acabado. Agora, no golpe, infelizmente voltaram.

Indiferente com o drama da fome, Maia agora trava uma disputa que consiste num novo golpe para ficar no poder [até lista de ministério vazou]. Ou seja, ele quer ocupar a cadeira do Tinhoso no Palácio do Planalto em nome dos banqueiros e rentistas.

O diabo é que Maia é tão ruim quanto Temer para o povo e os trabalhadores brasileiros.

Comentários encerrados.