Por Esmael Morais

Requião encomenda “missa” contra “asneiras” de Bolsonaro; assista

Publicado em 09/06/2017

Um dia após o Comissão de Ética arquivar processo pela “guerra de cuspes” que travou com o também deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), em abril de 2016, durante a sessão de abertura do processo de impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, Bolsonaro “filho” anunciou que protocolou uma representação contra Requião e a deputada Benedita Silva (PT-RJ).

Há uma semana, em evento numa universidade de Brasília, ao lado de Requião, a parlamentar petista, ao falar de Jesus Cristo, comparou: “Quem sabe faz a hora, faz a luta. Minha bíblia diz que sem derramamento de sangue não haverá redenção. Vou à luta, vamos à luta com qualquer que seja as nossas armas”.

“Vou encomendar uma missa para o Bolsonaro e não vou mais perder mais tempo com essa asneira”, avisou Requião, que perdeu a paciência com o deputado de extrema-direita.

Requião recordou que Bolsonaro filho sequer foi votar no velho Bolsonaro quando este disputou a presidência da Câmara, no início de fevereiro deste ano.

Na época o pai, Jair Bolsonaro, repreendeu o filho com ásperas palavras que foram flagradas por câmeras de repórteres:

“Papel de filho da puta que você está fazendo comigo. Tens moral para falar do Renan? Irresponsável!”.

O velho Bolsonaro ainda fulminou o filho: “Não vou te visitar na Papuda!”.

Para muitos brasileiros, Requião tem razão: Bolsonaro é um asno.