PSD enquadra vereadores ao posicionar-se contra ‘pacote de maldades’ de Rafael Greca

Compartilhe agora!

O presidente do PSD de Curitiba, deputado Ney Leprevost, obteve uma importante vitória nesta segunda-feira (12) ao conseguir aprovar resolução contrária ao ‘pacote de maldades’ do prefeito Rafael Greca (PMN). A decisão enquadra os quatro vereadores do partido na Câmara Municipal.

A resolução do PSD deixa claro que “a orientação do PSD Curitiba a seus vereadores é que votem contrariamente aos projetos que prejudicam a carreira dos servidores municipais, aumentam impostos e tragam qualquer tipo de ônus à população de Curitiba.”

Leprevost nomeou o sindicalista Paulo Rossi, presidente da UGT, como “bedel” do PSD na Câmara Municipal de Vereadores. Ou seja, aquele vereador que não cumprir a resolução partidária será sumariamente expulso da agremiação.

O documento que obriga a bancada do PSD votar contra Greca atinge diretamente os vereadores Jair Marcelino, Felipe Braga Cortes, Professor Euler e Bruno Pessuti.

A posição do PSD, contrária à proposta de Greca, saiu no mesmo dia em que os servidores públicos municipais deflagraram greve geral por tempo indeterminado.

A seguir, leia a íntegra da decisão do PSD:

NOTA PSD – CURITIBA REFERENTE A PROPOSTA DE RECUPERAÇÃO DE CURITIBA

Na tarde desta segunda-feira,12, os membros da Executiva Municipal do Partido Social Democrático de Curitiba – PSD- decidiram por se posicionar contrários em relação às mensagens enviadas pela Prefeitura de Curitiba que propõe mudanças significativas em relação às conquistas do funcionalismo público, que impactam em aumento de impostos para toda a população e contrariam propostas firmadas em Campanha Eleitoral do atual prefeito.

É de entendimento do PSD que as medidas apresentadas não irão trazer necessariamente os resultados esperados para aliviar os efeitos da crise orçamentária municipal. Essa opinião é avalizada por especialistas em gestão pública, economistas e analistas jurídicos de órgãos, como Ministério Público e Tribunal de Contas.

O aumento da tarifa do Transporte Coletivo é um bom exemplo de como medidas impostas sem ampla discussão podem prejudicar o orçamento e o desenvolvimento da cidade, sem trazer os benefícios esperados e merecidos para a população. Afinal, a tarifa reajustada diminuiu o número de usuários de transporte resultando em queda na arrecadação e prejuízo geral ao sistema.

Portanto, a orientação do PSD Curitiba a seus vereadores é que votem contrariamente aos projetos que prejudicam a carreira dos servidores municipais, aumentam impostos e tragam qualquer tipo de ônus à população de Curitiba.

Curitiba, 12 de junho de 2017

Deputado Ney Leprevost
Presidente do PSD Curitiba

Compartilhe agora!

Comments are closed.