Por Esmael Morais

Assembleia da APP-Sindicato define este sábado ‘greve geral’ na Educação

Publicado em 01/06/2017

Os cerca de 100 mil profissionais do magistério serão consultados sobre a paralisação que exigirá o fim das reformas da previdência (aposentadoria) e trabalhista (precarização da mão de obra). Além disso, a educação será convidada para liderar o movimento pelas eleições diretas já para presidente da República.

No âmbito paroquial, professores e funcionários das 2,1 mil escolas da rede pública debaterão uma estratégia de radicalização do movimento para recuperar reajuste de 8,53% da data-base e a centralidade do ensino na gestão pública. O ensaio geral desse movimento pôde ser visto nesta semana, na Assembleia Legislativa do Paraná, onde os educadores levantaram a bandeira da CPI do Quadro Negro (desvio de R$ 50 milhões da educação para a campanha do governador Beto Richa, do PSDB, e deputados que o sustentam politicamente no parlamento).

Na assembleia da APP também haverá discussão que diz respeito à organização interna do maior Sindicato do Paraná. O encontro de educadores deverá estabelecer regras e data para a eleição da entidade no mês de setembro próximo.