APP discute frente contra chapa de Richa

O professor Luiz Paixão Rocha, o Paixão, levou aos grupos que compõem a APP-Sindicato uma proposta para que seja constituída chapa única visando à eleição na entidade em setembro próximo.

A APP é a maior e mais poderosa organização sindical do Paraná, com cerca de 100 mil trabalhadores da educação na base, distribuídos em 2,1 mil escolas da rede pública no estado. No último balanço, de 2016, o sindicato apurou mais de R$ 50 milhões em ativo.

Professor Paixão relata que o governo Beto Richa (PSDB) está se movimentando para tomar a APP-Sindicato, domesticá-lo, e torná-lo um sindicato chapa-branca que atue como “departamento” do governo do estado e da Secretaria de Estado da Educação (SEED).

“Temos de nos unir contra essa possibilidade de golpe”, diz Paixão, ao sugerir que as forças que participam da APP adotem os percentuais da eleição passada para compor chapa única.

Na eleição de 2014, o Professor Hermes Leão, foi eleito com margem apertada com cerca de 15 mil votos dados para a Chapa 1 – ‘Somos Mais APP’; enquanto a Chapa 2 – ‘APP Independente, Democrática e de Luta‘, liderada pelo Professor Paixão, obteve mais de 14 mil votos; já a Chapa 3 – ‘Por uma APP de luta’ registrou cerca de 3 mil votos.

Pelo critério da composição da chapa única proposta para a eleição deste setembro, haja vista que parte da antiga Chapa 3 declinou apoio à antiga Chapa 2, o candidato “da unidade” a presidente da APP-Sindicato seria Professor Paixão. Entretanto, dificilmente a atual direção topará abrir mão do comando do sindicato. Ou não?

Por fim, vale o registro que Beto Richa prepara nova ofensiva midiática contra os educadores paranaenses. Neste sábado (10), por exemplo, equipes de agências de propaganda filmavam numa escola da região central de Curitiba. O objetivo do tucanato é destruir a APP-Sindicato e o poder de resistência de professores e funcionários de escolas.

Comentários encerrados.