UFPR, a universidade mais antiga do país, lança nota oficial pedindo a renúncia de Temer

A UFPR, fundada em 1912, lançou uma nota oficial defendendo a saída de Michel Temer para garantir a existência do regime democrático e republicano no país.

“Num regime democrático e republicano, devem ser ativas e efetivas as condições para que sejam afastados do poder os agentes políticos que violarem o Direito ou perderem as condições morais de conduzir o governo”, diz um trecho do documento assinado nesta quarta-feira (24) pelo reitor Ricardo Marcelo Fonseca.

A UFPR também propõe a Temer as mesmas regras que seriam submetidos os demais cidadãos, inclusive, diz a nota, ao direito à presunção de inocência e ao devido processo legal.

Em nenhum momento a nota oficial da UFPR cita expressamente o nome de Michel Temer, mas, em política e no contexto atual, meia palavra basta para enfiar-lhe a carapuça.

A UFPR ganhou importância política nesses tempos de Lava Jato e Estado de exceção porque o juiz Sérgio Moro é um dos professores da casa.

Também foi na secular instituição ensino público que emergiu o movimento pelas Diretas Já como remédio a esse estado de coisas.

A seguir, leia a íntegra da nota da Reitoria da UFPR:

Nota da Reitoria da UFPR pela democracia e pela República

A Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a mais antiga do país, atenta ao seu papel de produzir saberes, formar gerações e intervir criticamente na sociedade que a mantém, vem publicamente, em vista dos eventos políticos e institucionais que acometem o Brasil, conclamar para a defesa de valores verdadeiramente republicanos e democráticos que devem orientar a condução de nosso país.

1) Num regime democrático e republicano, qualquer cidadão ou cidadã deve se submeter e usufruir dos mesmos direitos e garantias que qualquer outro(a), inclusive o direito à presunção de inocência e ao devido processo legal, sendo inadmissível que alguém, independentemente de sua posição econômica ou de poder, tenha tratamento privilegiado;

2) Num regime democrático e republicano, os agentes públicos – com mandato, no exercício da jurisdição ou no funcionalismo em geral – têm o dever de zelar pelas instituições e pelas regras que as presidem, sob pena de terem esgarçada sua legitimidade, com efeitos institucionais deletérios para o país;

3) Num regime democrático e republicano, os nossos dirigentes devem agir com ética cidadã, moralidade e com respeito às regras jurídicas de modo exemplar, ao mesmo tempo em que, quando violarem o Direito, devem ser investigados, processados e, sendo o caso, punidos como qualquer cidadão comum, sem quaisquer benefícios e privilégios.

4) Num regime democrático e republicano, devem ser ativas e efetivas as condições para que sejam afastados do poder os agentes políticos que violarem o Direito ou perderem as condições morais de conduzir o governo;

5) Num regime democrático e republicano, o maior valor político (inclusive previsto na Constituição Brasileira) é o de que o poder emana do povo e deve ser exercido em seu nome, sendo certo que se afastar dessa premissa torna o país menos democrático;

6) Num regime democrático e republicano, corruptores e corruptos, sejam agentes públicos ou empresários, grandes ou pequenos, situacionistas ou oposicionistas, devem ser submetidos aos mesmos rigores da lei, sem diferenciações casuístas;

7) Num regime democrático e republicano deve existir imprensa igualmente democrática e republicana, que aja com lisura e ciosa de sua função pública, sendo condenável o seu comprometimento com interesses estritamente econômicos ou de poder;

8) Num regime democrático e republicano, é fundamental ser zeloso com o patrimônio dos direitos historicamente conquistados e acumulados, sendo por isso recomendável, da parte de qualquer agente político, não pautar sua redução ou revogação, ou qualquer outra reforma institucional estruturante, em momentos de grave crise de credibilidade daqueles que seriam justamente os encarregados de votar ou sancionar a alteração desses direitos ou instituições;

9) Num regime democrático e republicano, a educação pública superior deve ser considerada prioridade absoluta da nação, parte de seu projeto fundamental, meio privilegiado do desenvolvimento e do crescimento civilizacional e jamais ser rebaixada a mera “despesa”, cortando-se o seu financiamento ao ponto dramático de ameaçar de paralisação do funcionamento de atividades universitárias, comprometendo com isso as condições de produção da ciência e da tecnologia nacional e a formação das gerações futuras.

48 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Uma nota de uma gloriosa UNIVERSIDADE não podia ser um pouco menos primária? Perderam uma grande oportunidade de publicar um texto exemplar. E cadê a coragem de citar o nome do boi?

  2. Com a casa do golpe no chão, os golpistas soterrados pela lama da própria corrupção e um presidente morto vivo agarrado na cadeira de presidente para evitar ser preso, pois bem, as viúvas e sobreviventes da tragédia golpista agora estão querendo botar uma emenda no soneto do golpe, usando o desfibrilador das eleições indiretas no moribundo golpe, para escolherem um substituto do Michel Fora Temer que tenha o perfil também de golpista, seja ungido e blindado pela mídia e abençoado pelo mercado financeiro, para preservar as “conquistas” do golpe, ou seja, continuar as maldades do Temer de entreguismo, privataria e destruição dos direitos sociais (Reformas trabalhista e previdenciária). Portanto, com o arranjo golpista de eleição indireta, eles querem dar vida longa a um golpe que já morreu. E isso, justamente no momento que o povo ocupa as ruas de todo o país por antecipação das eleições e diretas já. Afinal, até as pedras da rua sabem, que o fim da crise e o retorno da democracia só é possível com eleições direitas e um governo legitimado pelo voto popular. Fora Temer!!

  3. Esse Temerário golpista, perdeu sua suposta legitimidade. Por isso é necessário eleições diretas para que o povo possa definir os rumos da nação.

  4. Primeiro vão cuidar dos desvios que ocorrem dentro da Universidade.
    E outra, fora Temer todo mundo quer.
    O engraçado é que vocês querem tirar o Temer com a ilusão de um Lulla voltar, o que seria um desastre muito, mas muito maior. Os petistas ainda não entenderam que essa corja de vagabundos, que inclui Lulla, Dillma, Aécio, Renan,Temer, etc…tem que ser afastada definitivamente da vida pública? Você não tem nenhum outro nome que preste? Só o porco barbudo?

  5. Essa é a minha UFPR!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. E a ortografia! Só Lula na causa!

  7. UFPR transformou em um Covil de Petista…sem credibilidade alguma

  8. fora temer fora temer diretas já diretas já

  9. Nota oficial do Bampi….

    “Não vai ter Lula!”

  10. UFPR repleta de comunistas, seria espantoso se lançassem uma nota diferente…rsrs No fundo querem o hexa réu de novo no poder…rsrs

    • KKKKKKKKK… golpista falando asneira é hilário… a maioria dos professores são capitalistas… nem sabe como funciona o sistema de ensino….

    • KKKKKKK… Moro do PSDB corrupto acabou de livrar a mulher do Cunha da prisão…

    • KKKKKKKKKKK… e para vc aprender… Jesus era negro e comunista… cristão que não sabe interpretar a própria bíblia…

    • Até parece q vc não conhece a UFPR, a app sindicato, sao fantoches da CUT e do PT, o sistema federal de ensino, os IFs estão cheios de petistas comunistas, até se pergunta se o fato de ser comunista é pré-requisito para ingressar nos IFs, a maioria é….rs

      • E o sr.? Conhece a UFPR? Conhece o IFPR? Como? Foi acadêmico?

        Aliás, o sr. sabe o q é comunismo? Leu Marx? No Brasil, nunca houve um partido comunista realmente representativo, em termos de votos. Tampouco o PT foi um governo comunista, sequer foi socialista. Ah, desculpe, o Sr. não deve saber a distinção entre um e outro…

        Por favor, use ao menos a Wikipedia, melhore sua argumentação e pare de passar vergonha na rede.

    • Já tomou no cu hoje seu filho da puta?

  11. Enquanto se degladiam a esquerda e a direita, Lula, FHC e Sarney articulam governo de coalizão na casa de senadora petista e todo séquito de todos os partidos.

    E aí? Vão dizer que é mentira?

    • Mentira, tem uns aí que estão tão velho e fora da casinha que nem articulam mais

      • Cai na real Ro…

        Estão em todos os jornais…

        De esquerda e de direita.

        Não há luta do povo mas de uns poucos querendo manter-se no poder a qualquer custo, nem que seja a vida de seus peões.

  12. também farei uma nota oficial…UFPR, se reserve a fazer as funções que foram criados pra fazer…ou seja, ensino e não politica,….tem que varrer os comunistas de dentro UFPR.

  13. Cuidado, porque os Coxinhas Rola-bostas e Cheira-cu de Tucanos e Filhos da Puta da República dos Cornos Mansos de CUritiba estão alucinados e com vontade de dar o cu e para aplacar o ódio eles podem atacar a UFPR.

    • Ô machão de teclado…
      Se temos todos esses que menciona nessa cidade é pq uma senhora antecedente sua pariu todos eles por aqui.
      Quanto aos cornos fica por vc e seu pai…
      Agora se quiser falar na cara aparece por aqui, mas cuidado.
      Odiamos vagabundos nas ruas.
      Aqui se trabalha.

  14. a pior coisa não feita nos militar foi não ter entrado dentro das universidades e feito uma varrida ética e moral as universidades tornaram ao longo de anos antro a encubar comunistas é preciso fazer uma reforma na composição das reitorias Universitaria pois parte da universidades não conseguem gerir seus orçamentos e ai fica a perguuta se um centro de formação não conseguem gerir seus orçamentos que tipo de profissionais estão a despejar no mercado se quem deveria ser um exemplo é um antro de corrupção

    • Vai namorar milicos, puxa saco.

    • .
      A delação feita por Joesley Batista e os efeitos que dela decorreram representam um golpe na incipiente recuperação da economia brasileira. A quem interessa brecar a retomada? Teorias conspiratórias não ajudam a entender realidades tão complexas quanto as que o Brasil tem vivido. Mas ao menos um golpe é inconteste nas gravações e na delação feita por Joesley Batista: contra a economia brasileira. De alguma maneira, ou de maneira talvez central, o réu confesso tornou-se parte de uma sabotagem à recuperação do país. Fazem apenas uma semana, os brasileiros – ou uma parte deles, já que alguns milhões sós verão algum alentam de fato depois de conseguir um emprego – pareciam começar a alimentar expectativas mais otimistas com o país e a nossa economia. Isso não é desprezível, tampouco detalhe: a volta do crescimento econômico é condição estrutural para a reconstrução do Brasil e, mais ainda, para impedir a implosão completa das condições de vida da população. Faz apenas uma semana, comemorávamos o primeiro registro oficial de que a produção nacional havia voltado a crescer depois de três anos de ruínas legados pelo PT. Faz apenas uma semana, discutíamos quanto mais a taxa de juros iria cair, aliviar a dívida do governo e de quem deve e baratear o crédito para quem quer investir e consumir. Há apenas uma semana passada festejava que 60 mil novas vagas de emprego foram abertas no país no mês de abril, pela segunda vez no ano, compensando em parte a destruição massiva de oportunidades de trabalho promovida pela recessão da lavra petista. Veio então à divulgação da delação, as decisões do Ministério Público e da Justiça, a blitzkrieg sobre o presidente da República. E o Brasil, que tentava se soerguer, agora tem que resistir com ímpeto redobrado para não voltar a andar para trás, como se tornara nossa tônica sob comando de Lula e Dilma. A quem, afinal, interessa parar o país? Agora o que se fala é na dificuldade de fazer andar as reformas estruturais, condição indispensável para a reconquista da perspectiva de algum desenvolvimento. A trabalhista resiste no Senado, enquanto a previdenciária balança na Câmara. Nas últimas semanas, diante da boa chance de o país conseguir, depois de anos, implementar mudanças que corrigem distorções, estancam a sangria de gastos públicos e, principalmente, combatem privilégios e desperdícios, namorávamos a perspectiva de melhoria da classificação de risco e o consequente barateamento do crédito internacional, com novos investimentos. Agora, volta-se a falar em novo rebaixamento do país. Cabe ao governo, às forças que o sustentam, aos agentes políticos, sociais e econômicos interessados em construir e não em detonar pontes atuar para que sejam dadas respostas adequadas, responsáveis e, sobretudo, em estrito respeito à Constituição para esta crise. Um ambiente de equilíbrio e serenidade é fundamental para que nossa economia não volte a parar, para que a retomada da geração de empregos de fato se consume, para que as reformas aconteçam e para que o país volte a cuidar melhor de seus cidadãos. Desde a semana passada, isso foi posto em risco

    • Jesuino Evangelista De Souza Evangelista de Souza Pirou de vez ou é defeito de fábrica?

    • Que tal uma reforma nas ideias desse Loko, kkkkkkkkk
      Mas pelo que percebo não tem concerto

    • Jesuino Evangelista De Souza Evangelista de Souza KKKKKKKKK… golpista falando asneira é hilário… a maioria dos professores são capitalistas… nem sabe como funciona o sistema de ensino….

    • Jesuino Evangelista De Souza Evangelista de Souza KKKKKKKKK… quem sempre sai como corrupto, são pessoas como vc…

    • Jesuino Evangelista De Souza Evangelista de Souza KKKKKKK… Moro do PSDB corrupto acabou de livrar a mulher do Cunha da prisão…

    • O pior é a culpada é Mariza não vai colar o bandido de estimação vai pra cadeia