Por Esmael Morais

Moro leva “sabugada” no TRF-4

Publicado em 04/05/2017

Após o STF rever a sentença que mantinha preso o ex-ministro José Dirceu, Moro agora vê o TRF-4 reformar sua decisão que obrigava o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de acompanhar as 86 oitivas das testemunhas arroladas pela defesa.

“Não parece razoável exigir-se a presença do réu em todas as audiências de oitiva das testemunhas arroladas pela própria defesa, sendo assegurada a sua representação exclusivamente pelos advogados constituídos”, decidiu em liminar o juiz federal Nivaldo Brunoni, do TRF-4.

O TRF-4 era tido como “bastião” de Moro — instância que referendaria todas as decisões do juiz de 1ª instância. Portanto, caiu o mito.

As sucessivas derrotas de Moro nas instâncias superiores ocorrem às vésperas do interrogatório de Lula em Curitiba, no próximo dia 10 de maio, quando movimentos sociais esperam reunir 50 mil pessoas no protesto contra o ‘abuso de autoridade’ na Lava Jato.

Tudo às claras

Por meio de sua defesa, Lula ainda pede numa petição ao TRF-4 que o interrogatório seja transmitido ao vivo pela internet e pede e que a câmera também mostre o rosto do juiz Sérgio Moro durante a audiência.

Segundo os advogados de Lula, a gravação da íntegra do depoimento evitará que se propague “uma imagem distorcida dos sucessos verificados na audiência, impedindo que sejam avaliadas a postura do juiz, do órgão acusador, dos advogados e de outros agentes envolvidos no ato”.