De volta à escravatura

O ilegítimo Michel Temer (PMDB) quer a volta da escravatura com a reforma da previdência. Abaixo, a lei 3.270, de 28 de setembro de 1885, que tornava livres os escravos após 60 anos de serviço.

A reforma da previdência do Tinhoso prevê 49 anos de contribuição ininterrupta e idade mínima de 65 anos para a aposentadoria por tempo de serviço. Na prática, o trabalhador morrerá sem direito ao benefício e ao merecido descanso.

Comparando ontem (1885) e hoje (2017), chega-se à conclusão de que o golpe de Estado é um retrocesso de mais de 132 anos que deixa a “Lei dos Sexagenários”, promulgada por D. Pedro II, avançadíssima para os padrões atuais.

Note o caro leitor que os escravos tinham mais direitos do que pretende Temer, conforme estabelecia o § 13., art. 4º da referida lei:

“Todos os libertos maiores de 60 annos, preenchido o tempo de serviço de que trata o § 10, continuarão em companhia de seus ex-senhores, que serão obrigados a alimental-os, vestil-os, e tratal-os em suas molestias, usufruindo os serviços compativeis com as forças delles, salvo si preferirem obter em outra parte os meios de subsistencia, e os Juizes de Orphãos os julgarem capazes de o fazer.”

Após a revogação da “Lei dos Sexagenários” com a reforma da previdência, Michel Temer também tentará revogar a “Lei Áurea”, de 1888, que aboliu a escravatura. Ou seja, o golpe de Estado vai legitimar a volta da escravatura no Brasil.

Leia a íntegra da Lei 3.270, de 28 de setembro de 1885:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2017/03/lei_sexagenarios.pdf

Assista ao vídeo sobre a Lei dos Sexagenários

Comentários encerrados.