Por Esmael Morais

Governo Temer derrete em 9 meses

Publicado em 24/02/2017

Com a “licença” de Eliseu Padilha (PMDB-RS) da Casa Civil, agora são sete ministros defenestrados em 9 meses de golpe.

Até mesmo um apedeuta percebe o derretimento do governo golpista com esse calor infernal que faz no trópico.

Na noite de quarta-feira (22), o senador José Serra (PSDB-SP) pediu demissão do Ministério das Relações Exteriores alegando problemas na “coluna” que o impediam de exercer a função na plenitude.

Entretanto, os problemas acumulados pelo tucano foram outros: 1- a delação apontando-o como recebedor de R$ 23 milhões de propina da Odebrecht; 2- eleição do adversário Alexandre Moraes para o STF; 3- desprezo dos EUA e isolamento no Mercosul (ficou sem ter com quem jogar); 4- tentativa de entregar a Base de Alcântara.

Na quinta-feira (23), também à noite, veio à tona o afastamento de Padilha para uma cirurgia da próstata.

O pedido de “licença” — em pleno Carnaval?! — coincidiu com a delação de José Yunes — melhor amigo e ex-assessor de Temer — segunda a qual Padilha teria recebido um “pacote” de Lúcio Funaro contendo R$ 4 milhões em propina.

Portanto, depreende-se que o governo ilegítimo de Michel Temer é um “doente” terminal cujo derretimento é inexorável.