Por Esmael Morais

Gleisi é a nova líder do PT no Senado

Publicado em 08/02/2017

Gleisi agradeceu à confiança dos colegas petistas, que lhe delegaram a tarefa de liderar a terceira maior bancada do Senado, um coletivo que ao longo de 2017 terá o desafio de contribuir para a manutenção de direitos tão duramente conquistados pelos brasileiros e que estão sob ataque do governo Temer. Nenhum direito a menos é o norte, apontou a senadora.

Assista ao vídeo:

Alternativas para o Brasil

“Não reconhecemos esse governo ilegítimo, queremos a realização de eleições diretas”, ressaltou Gleisi. Mas a oposição do PT a Temer não vai estar baseada apenas na crítica e na denúncia. “O PT será muito propositivo. Até porque já governamos este país e sabemos as respostas que podemos oferecer para a economia, para a área social”.

A senadora, que nos últimos dois anos presidiu a Comissão de Assuntos Econômicos da Casa, defende que a solução para a crise e a recessão é essencial colocar dinheiro em circulação, especialmente na mão dos mais pobres. Para isso, é preciso assegurar o aumento real do salário mínimo, aumentar a quantidade de parcelas do seguro desemprego e aumentar o benefício do bolsa família. Ela revelou que o PT e o Bloco de oposição já estão consolidando um conjunto de propostas de ações emergenciais e também de médio e longo prazo que em breve serão apresentadas formalmente ao País.

Trajetórias

Gleisi é paranaense de Curitiba e começou sua militância no movimento estudantil. Formada em Direito e com especialização em Gestão de Organizações Públicas e Administração Financeira, foi ministra-chefe da Casa Civil no primeiro governo de Dilma Rousseff. É casada com o ex-ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Está no Senado desde 2011.

Humberto Costa nasceu em Campinas (SP), mas foi criado no Recife (PE), onde se formou em Medicina e em Jornalismo. Foi na faculdade que ele se aproximou do movimento estudantil e das mobilizações que dariam origem ao Partido dos Trabalhadores em Pernambuco. Foi ministro da Saúde no primeiro governo Lula.

As informações são do PT no Senado.