Por Esmael Morais

Requião Filho: Corrupção e coincidências no governo Richa

Publicado em 21/02/2017

Corrupção e coincidências no governo Richa

Requião Filho*

No Paraná, as coincidências são alarmantes. Em especial, no mundo político. Uma destas tristes casualidades envolve um único endereço; o escritório do Chefe da Casa Civil de Beto Richa – Valdir Rossoni. Neste mesmo endereço, habitaram, concomitantemente, um escritório político e uma empresa laranja, usada em um esquema de desvio de verbas que, por coincidência, é uma empresa que desviou verbas da educação… e por aí vai!

Veja o que significa a palavra “coincidência” no dicionário e, com este verbete, vamos associar às denúncias da matéria publicada pela Folha de São Paulo, esta semana.

Coincidência

substantivo feminino
1. igualdade, identidade de duas ou mais coisas.

“No registro de imóveis, o escritório de Rossoni estava em nome da empresa J4RL Holding, de Jeferson Furlan Nazário. Ele é dono da Embrasil, que presta serviço de segurança na Assembleia Legislativa do Paraná desde 2011 – início do mandato de Rossoni na presidência da Casa. O contrato foi prorrogado, sem licitação até 2016, ano em que a Embrasil venceu uma concorrência para manter o serviço. A PB teria funcionado entre julho de 2013 e dezembro de 2014. A suspeita é de que Rossoni também usaria a sala nesse período”. (Folha de São Paulo)

2. ocupação do mesmo espaço; justaposição.

“Segundo a apuração, uma das empresas investigadas operava no mesmo endereço do escritório político de Rossoni, no edifício Palladium. No 20º andar, funcionava a PB Construtora, empresa de fachada do mesmo dono da Valor, segundo registro na Junta Comercial. A PB, porém, não est´anos arquivos do prédios comercial”. (Folha de São Paulo)

3. realização simultânea de dois ou mais acontecimentos; simultaneidade.

“Ele alugou o imóvel três meses depois, com Nazário como fiador. O contrato acabou quando Rossoni foi para a Casa Civil, mas funcionários do prédio afirmam que ele continuou usando a sala”. (Folha de São Paulo)

4. ocorrência de eventos que, por acaso, se dão ao mesmo tempo e que parecem ter alguma conexão entre si.

“As primeiras obras da construtora começaram e foram concluídas em Bituruna, reduto eleitoral de Rossoni, quando seu filho, Rodrigo Rossoni, era prefeito. A partir de então, a empresa começou a vencer as licitações do governo estadual”. (Folha de São Paulo)

5. concorrência de coisas para um mesmo fim.

“Outro indício é um trecho do depoimento do ex-diretor da Secretaria da Educação, Mauricio Fanini. Ele disse que foi Rossoni quem o apresentou ao dono da Valor, Eduardo Lopes de Souza. Fanini e Souza foram indiciados e respondem em liberdade. (…) O governo liberou oito aditivos para os contratos da Valor em um só dia, o e que encareceu as obras em mais de R$ 6 milhões, de acordo com a investigação”. (Folha de São Paulo)

Veja bem, quantas coincidências, não? E todas em torno do mesmo alvo; o governador Beto Richa. Sim, pois nessa história toda, primeiro apareceu um primo distante, que vivia junto dele em festas high society, envolvido em diversos escândalos. Depois, o piloto condenado a 97 anos e, em meio a tudo isso, um servidor, um fotógrafo com o nome de Beto Richa tatuado no braço, envolvido em diversos escândalos de corrupção na receita estadual. E, por fim, um tal “piloto”, mencionado diversas vezes nas delações da Odebrecht à Lava-Jato… será mais uma coincidência infeliz ou um apelido de outro suspeito qualquer?!

*Requião Filho, advogado, é deputado pelo PMDB do Paraná.