Aliados enxergam ‘fogo amigo’ contra ministro da Saúde e família Barros

O ministro da Saúde Ricardo Barros seria vítima de ‘fogo amigo’ disparado pela bancada do PP na Câmara e Palácio Iguaçu. É o que creem correligionários e aliados do pepista no Paraná, após analisarem as denúncias na Folha de S. Paulo sobre a compra de um terreno em Marialva (PR).

A tropa de choque do ministro enxergou as digitais do líder do PP na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), que estaria de olho gordo no cargo de Barros.

No governo Dilma Rousseff, Ribeiro fora ministro das Cidades, mas, assim como Barros, ex-vice-líder do governo petista, mudou de lado para apoiar o golpe de Estado.

Por envolver a mulher de Barros nas “ilações” de irregularidades, a vice-governadora Cida Borghetti (PP), os aliados do ministro da Saúde também veem o dedo do tucanato paranaense. “O objetivo é tirar a Cida da disputa de 2018, mas não tem jeito: ela vai concorrer ao Palácio Iguaçu”, afirmou um correligionário.

O Blog do Esmael também ouviu neste sábado (11) um amigo da família Barros que disse não ter dúvidas se tratar de ‘fogo amigo’ disparado do ninho tucano.

“São factoides negativos. Ato contínuo o Ratão saiu da toca para dizer que o filho Ratinho Junior (PSD) vai disputar o governo do estado e não o Senado”, completou.

Ratinho e Cida querem o apoio de Richa para sucedê-lo no ano que vem.

Portanto, recomenda-se Zorba de lata para ministro da Saúde.

Comentários encerrados.