Por Esmael Morais

Quem com golpe golpeia com golpe será golpeado

Publicado em 05/12/2016

Primeiro derrubaram Dilma Rousseff por meio de um golpe de Estado.

Depois foi a vez de Eduardo Cunha ser golpeado pelos próprios golpistas, o que pode ser considerado um golpe no golpe – ainda em curso.
Renan Calheiros foi o terceiro a tomar um golpe na cabeça.

O próximo na fila é o ilegítimo Michel Temer, que não cansa de perguntar-se com sua indefectível mesóclise: também golpear-me-ão?

É o tal efeito bumerangue.

Portanto, eles podem tirar um ensinamento pedagógico e quase bíblico: quem com golpe golpeia com golpe será golpeado.