Por Esmael Morais

Deputado acusa governador Beto Richa de receber propina em obra superfaturada

Publicado em 01/12/2016

“Obra importante! Pena Q ta superfaturada e o Richa ta levando uma comissao. Garanto que é mais do que aquele relógio que ele [o governador] levou do FANINI. Investigação em curso”, revelou Arruda no grupo de WhatsApp do Blog do Esmael.

Fanini a que o deputado se refere é o amigo do governador chamando Maurício Jandoi fanini Antonio, que presidia a SUDE (Superintendência de Desenvolvimento Educacional) — órgão responsável pela medição de obras em escolas do Paraná.

No entanto, o amigo do governador tucano foi preso em 2015 pela Operação Quadro Negro, do Gaeco, que aponta desvio de R$ 50 milhões da educação. O dinheiro saia do tesouro estadual, mas a escola não era construída. O caso está sob investigação da Justiça Federal, pois parte da verba roubada era da União.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), veio em socorro de Beto Richa: “Que absurdo, devia provar o que fala, que a obra está superfaturada”.

A ponte sobre o Rio das Cinzas, na PR-436, entre Bandeirantes e Itambaracá, no Norte do Estado. A nova travessia terá 210 metros de comprimento e o investimento será de R$ 15,1 milhões.

A discussão entre os deputados chamou a atenção dos demais integrantes do grupo no WhatsApp.

Mesmo advertido pelo líder do governo, o deputado João Arruda intensificou as acusações contra Beto Richa.

“Quanto a quadro negro a justiça vai provar. Sobre a ponte a investigação já está em curso. Coitados desses empresários Q são obrigados a reduzir as suas margens p dar propina”, escreveu o parlamentar do PMDB.

Em respostas a Romanelli, João Arruda ainda complementou: “E não preciso falar isso p vc pq vc sabe! Não estou te acusando de nada. To dizendo Q tem corrupção e vão investigar. Absurdo é o achaque”.

A polêmica no grupo de WhatsApp começou com a postagem de um vídeo pelo deputado Romanelli contendo uma reportagem sobre a situação na travessia do Rio das Cinzas. Abaixo, assista: