Câmara também desrespeita STF

maia_stfO senador Renan Calheiros (PMDB-AL) faz escola. O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) agora torce o nariz para despacho do ministro Marco Aurélio Mello, do STF, que manda a Casa indicar os integrantes da comissão do impeachment do ilegítimo Michel Temer (PMDB).

Maia descumpre a decisão do ministro Supremo alegando que não cabe a ele indicar cerca de 50 membros para a comissão. Até agora, segundo a Câmara, o colegiado do impeachment tem apenas 16 dos 66 membros titulares.

Até o momento, apenas os partidos PEN, PCdoB, PT, PR, PMB, PDT, REDE, PSOL E PTdoB fizeram indicações. Ainda faltam PMDB, PSDB, PP, DEM, PPS, PSD, PTB, PSB, PV, PRB, SD, PSC, PROS, PHS, PTN, PMN, PRP, PSDC e PRTB.

“A comissão não foi instalada porque essa é uma atribuição dos líderes, e os líderes não indicaram os membros. Aqui é uma Casa política, e a decisão política dos líderes, pelo jeito, está tomada”, explica o presidente da Câmara.

O diabo é que todo mundo está desrespeitando os ministros do STF. Ninguém mais os leva a sério depois que participaram ativamente do golpe de Estado.

O STF virou um “sindicatão” de juízes cujos membros representam interesses corporativos. Nenhuma preocupação que tenha como norte a soberania nacional ou o desenvolvimento sustentável da economia. Não é à toa a excessiva preocupação dos ministros pela manutenção dos supersalários e outros benefícios. Até parece que Suas Excelências estão pressionando o Legislativa para negociar melhores vencimentos.

O pedido de impeachment “aceito” na Câmara partiu do advogado Mariel Marley Marra em abril deste ano. Portanto, há oito meses a Câmara enrola o ministro Marco Aurélio e o Supremo.

Comentários encerrados.