Por Esmael Morais

Câmara aprova acompanhamento da ‘Operação Quadro Negro’ no Paraná

Publicado em 09/12/2016

O documento aprovado pela Comissão será encaminhado ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Ministério Público Federal e Tribunal de Contas da União para esclarecimentos sobre quais providências foram tomadas na Operação Quadro Negro.

Zeca Dirceu explicou que o requerimento visa a fiscalização da aplicação de recursos federais, principalmente, porque se trata de recursos para a educação do estado.

“Há uma operação que ocorreu no estado do Paraná, que reúne uma força-tarefa da Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF), a Procuradoria Geral da República (PGR) e a Controladoria Geral da União (CGU), denominada Operação Quadro Negro, que está em andamento com investigações, prisões, com coleta de provas há muito tempo, e não podemos nos ausentar desse caso tão importante”, justificou o deputado.

O deputado lembrou que a Operação investiga desvios de recursos destinados a construção de escolas para atender interesses de lideranças políticas e de parlamentares, principalmente, em períodos de disputas eleitorais.

“O requerimento vai contribuir com o avanço do caso com a presença do Ministério Público Federal e Tribunal de Contas da União para conhecer o que realmente foi feito com recursos da educação do Paraná”, destacou Zeca Dirceu.

Operação Quadro Negro

A Quadro Negro investiga roubo de R$ 50 milhões que seriam destinados à construção e reformas de escolas, mas, de acordo com o MP, as obras nunca saíram do papel e os recursos públicos abasteceram campanhas de reeleição do governador Beto Richa e de deputados aliados na Assembleia Legislativa.

A ação principal da Quadro Negro teve a competência deslocada da Justiça Estadual para a Justiça Federal do Paraná, haja vista que a roubalheira também atingiu os cofres da União.

O Blog do Esmael registrou em primeira mão, há um ano e meio, o escândalo e a consequente queda da cúpula da Educação do Paraná.