Por Esmael Morais

Alvaro: O debate anticorrupção precisa avançar

Publicado em 14/12/2016

Download áudio

O debate anticorrupção precisa avançar

Alvaro Dias*

A crise política se agravou, nos últimos tempos, de forma inédita, inusitada e sem precedentes. É evidente que ela não começou agora. Nós estamos lendo hoje a crônica da crise anunciada há alguns anos. Mas nós não podemos nos restringir ao debate da crise, porque precisamos votar propostas que garantam o mínimo de governabilidade. O País não pode ficar paralisado por causa das delações premiadas.

Na semana passada, participei de um debate, na Procuradoria-Geral da República (PGR), sobre as medidas de combate à corrupção. Senti-me muito honrado por ter sido palestrante convidado pelo Ministério Público, nesse momento de descrença generalizada.

O principal tema do debate com o Procurador-Geral Rodrigo Janot e procuradores foi o pacote anticorrupção que foi deturpado pela Câmara dos Deputados. Defendi que o Senado Federal recupere as 10 medidas encaminhadas ao Ministério Público, com o apoio de mais de 2 milhões de brasileiros.

No momento, há um clima de exacerbação na política, com muitos parlamentares investigados. Portanto, o cenário de revanchismo não é adequado para que possamos legislar bem. Somos constantemente acusados de legislar mal, e é importante compartilhar o ato de legislar com instituições sérias, como o Ministério Público, especialmente em relação às medidas de combate à corrupção. O Senado tem o dever de restaurar o que foi modificado na Câmara. Essa é a nossa missão! Não podemos compactuar com tentativas subterrâneas de cercear as investigações das autoridades judiciárias, em especial a Operação Lava Jato.

No debate, também defendi o adiamento da votação do projeto que pune o abuso de autoridade e disse que os políticos não têm feito a leitura correta do que se passa no país.

Nos últimos anos, houve a banalização da corrupção, com escândalos que não produziam revoltas nem derrotas eleitorais, mas, repentinamente, houve um despertar, e o Brasil começou a mudar com as demandas da população indignada. E instituições como Ministério Público, Justiça e Polícia Federal reabilitam, a cada dia, as esperanças de um País diferente.

Vivemos um tempo em que muitos prejuízos são provocados pela corrupção, principalmente o crescimento da dívida pública e o aumento do desemprego. Não podemos mais conviver com isso. O Congresso tem o dever de responder aos anseios da sociedade brasileira, produzindo leis que, verdadeiramente, dificultem a corrupção e punam os corruptos.

*Alvaro Dias é senador pelo Partido Verde. Ele escreve nas quartas-feiras para o Blog do Esmael sobre “Ética na Política”.