Richa já dá as cartas na formação do secretariado de Greca

richa_greca_cattaniO governador Beto Richa (PSDB) começou a cobrar a fatura pelo apoio que deu ao prefeito eleito Rafael Greca (PMN) impondo nomes ao secretariado na Prefeitura de Curitiba.

Dentre os nomes que o tucano enfia goela-baixo é do próprio filho, Marcello Richa, que deverá ocupar a futura Secretaria de Gestão com funções equivalente à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, a pasta de Ratinho Junior (PSD), que será progressivamente desidratada pelo governador por questões óbvias.

Greca, no entanto, quer fazer deste limão uma limonada, isto é, quer que o cargo do pequeno Richa sirva como “duto” para jorrar dinheiro do Palácio Iguaçu (sede do executivo estadual) para o Palácio 29 de Março (sede do executivo curitibano).

O governador também já bateu o martelo no nome de Marcelo Cattani para comandar a Secretaria Municipal de Comunicação Social de Rafael Greca. Nesta semana, Richa recebeu em Palácio Iguaçu seu ex-secretário de Comunicação para lhe passar valiosas instruções. A portas fechadas, a reunião durou uma hora e meia.

A Prefeitura de Curitiba, assim como o Palácio Iguaçu, opera com agências de propaganda que detêm milionárias contas. Portanto, ao indicar o filho e o amigo Cattani para o secretariado de Greca, na verdade, Richa está colocando olheiros para cuidar de seus interesses até 2018.

Como diz o ditado, engana-se quem acha que é o pasto que engorda o boi. Pelo contrário. É o olho do dono que garante a boiada gorda.

Dito tudo isto em outras palavras, Beto Richa quer Curitiba para garantir uma das vagas ao Senado em 2018. Afinal de contas, a capital paranaense e região representam um terço do eleitorado no estado.

Comentários encerrados.