Por Esmael Morais

Richa dá calote na data-base dos servidores, mas quer gastar mais R$ 143 milhões em propaganda

Publicado em 24/11/2016

O edital do “tio torto” do governador Beto Richa (PSDB), o secretário de Comunicação Márcio Villela, diz a licitação visa contratar “5 (cinco) agências de propaganda para a prestação de serviços de publicidade, para atender a Administração Direta e Indireta do Poder Executivo Estadual, incluídas as Empresas Públicas, Autarquias e Sociedades de Economia Mista, e os Serviços Sociais Autônomos.”

Entretanto, até balas de borracha que arderam no couro dos servidores, em 29 de abril do ano passado, sabem que a farra publicitária são — e serão bem maiores que os R$ 143 milhões em virtude de aditivos e gastos diretos realizados pelas estatais. Estima-se, por exemplo, que serão torrados R$ 700 milhões até o final deste 2016.

A pergunta é: se não tem dinheiro para honrar o compromisso da data-base de nossos bravos servidores públicos, por que sobra para a farra da propaganda? Por quê?

Os deputados, sobretudo a Bancada do Camburão, que dá sustentação ao calote de Richa, bem que poderiam responder essa questão. Aliás, essa pergunta vai persistir até outubro de 2018. É esperar e conferir.

Abaixo, leia a íntegra dos documentos convocando a audiência pública:

http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2016/11/REGULAMENTO_AUDIENCIA_PUBLICA.pdf

edital_de_licitacao