Requião: Geddel acusado de interferir no espigão sai, Serra acusado de recebe R$ 23 milhões fica?

Publicado em 26 novembro, 2016

requiao_serra_propinaO senador Roberto Requião (PMDB-PR) não poupou os tucanos ao criticar a seletividade da mídia nos casos de corrupção envolvendo o governo Michel Temer (PMDB). “Geddel acusado de interferir em espigão sai, o outro acusado de receber US$ 23 mi fica?”, fuzilou o parlamentar ao referir-se à queda do ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) e a permanência “intacta” do ministro do PSDB José Serra (Relações Exteriores), mesmo acusado de ser beneficiado por propina de R$ 23 milhões da Odebrecht.

Requião também abriu fogo em relação ao encontro entre Temer e a cúpula do PSDB, entre eles o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o senador Aécio Neves e o ministro de Relações Exteriores, José Serra. O almoço entre Temer e os tucanos ocorreu logo depois de divulgação do pedido de demissão de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo.

.

“A pretendida Ponte Para o Futuro de Temer é considerada por FHC uma mera pinguela para o PSDB atravessar o rio que o separa do poder. Cruz!”, afirmou Requião em suas redes sociais.

Antes de se encontrar com Michel Temer, o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, disse que não viu “nenhum ato incorreto por parte do presidente da República”.

“Ele fez uma sugestão para que a AGU [Advocacia-Geral da União] pudesse dirimir. As investigações têm que haver em relação a quem quer que seja. Como, acredito, ocorrerão. Nós vamos sustentar o governo Temer porque cabe a ele constitucionalmente o papel de liderar o país nesse governo de transição. Não há alternativa”, afirmou Aécio.

.

Pelo Twitter, Requião repetiu a importante e pertinente observação: “Geddel acusado de interferir em espigão sai, o outro acusado de receber us$ 23 mi fica? PSDB intocável”.

Com informações do Brasil 247

Comments are closed.