Por Esmael Morais

Em sessão relâmpago, Traiano manda outra vez professora ‘calar a boca’ na ALEP

Publicado em 23/11/2016

“Cala a boca, menina!”, esbravejou o tucano diante de protesto da professora que acompanhava a sessão relâmpago — que durou menos de meia hora.

Traiano ainda ameaçou: “Quem se manifestar eu mandar retirar”, ao chamar a segurança para conter os servidores públicos que lotam a ALEP.

Em junho de 2015, Ademar Traiano, que também é presidente do PSDB do Paraná, já havia dito “cala a boca, menina!” cuja resposta das galerias foi “machista, machista, machista…”. (Clique aqui para relembrar). Na época ele disse que, com humildade, retirava o que havia dito.

A Assembleia iniciou ontem (22) a votar proposta do governador Beto Richa (PSDB) que prevê calote na data-base dos funcionários. Na primeira votação, o Palácio Iguaçu venceu por 33 votos a 18 pela retirada do direito adquirido.

A agora bancada suprapartidária — que reúne oposição e arrependidos — promete entrar com ação de inconstitucionalidade da votação no Tribunal de Justiça.

Aqui segue uma câmera da APP-Sindicato: