Operação Quadro Negro chega ao Palácio Iguaçu

Compartilhe agora!

richa_quadro_negroDepoimento de uma funcionária da Secretaria de Estado da Fazenda ao Ministério Público do Paraná levou a Operação Quadro Negro para dentro do Palácio Iguaçu.

A Quadro Negro investiga roubo de R$ 50 milhões que seriam destinados à construção e reformas de escolas, mas, de acordo com o MP, as obras nunca saíram do papel e os recursos públicos abasteceram campanhas de reeleição do governador Beto Richa (PSDB) e de deputados aliados na Assembleia Legislativa.

O explosivo depoimento foi prestado à Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público de Curitiba.

A novidade é que a funcionária da SEFAZ apontou nome e sobrenome os mandantes da corrupção com o dinheiro da educação. Por isso, ao que tudo indica, haverá mexidas no 1º escalão do governo do estado com o intuito de abafar o caso e proteger os envolvidos no escândalo.

A ação principal da Quadro Negro teve a competência deslocada da Justiça Estadual para a Justiça Federal do Paraná, haja vista que a roubalheira também atingiu os cofres da União.

Compartilhe agora!

Comments are closed.