Operação da PF contra pedageira no PR teve origem em denúncia de Requião; leia a íntegra do documento

requiao_pedagio_richaA Polícia Federal cumpriu na manhã desta quinta (10), no Paraná, mandados de busca e apreensão em concessionária de pedágio. A operação foi desencadeada a partir de denúncia de fraude apresentada ao Ministério Público pelo senador Roberto Requião (PMDB), em 2014, conforme documento abaixo, onde também o parlamentar pede providências ao governdor Beto Richa (PSDB).

Foi Requião quem denunciou ao então Procurador-Geral da Justiça, Gilberto Giacoia, empreiteiras responsáveis e irregularidades nas obras de duplicação da PR-445, no trecho de 17 km entre Cambé e Londrina, dentre as quais Sanches Tripoloni, de Maringá, e a Triunfo, de Curitiba, já teriam iniciado as obras, entretanto, o governo do estado não havia feito o prévio empenho e a reserva no orçamento como prevê a lei.

“As despesas já efetuadas sem o correspondente empenho representariam o importe de aproximadamente 100 milhões”, diz um trecho da representação ao MP (abaixo, leia a íntegra).

Além disso, Requião fez um pedido de informações — via Senado — direto a Richa sobre essa a PR-445.

A PF teve como alvo a pedageira Triunfo cuja lupa o Blog do Esmael já havia colocado sob a empresa em dezembro de 2013.

Depois de ganhar a licitação da PPP, em 2014, a Triunfo deixou a obra paralisar no trecho da PR-445 (Londrina-Cambé) — conforme registro do Blog do Esmael em maio de 2014.

Em agosto de 2014, vésperas das eleições ao Palácio do Iguaçu, o senador Roberto Requião travou uma verdadeira “guerra do asfalto” contra o governador Beto Richa, que na época tentava a reeleição.

Resumo da ópera: Richa autorizou ordem de serviço de R$ 100 milhões sem possuir rubrica no orçamento do estado.

Leia íntegra da denúncia de Requião, em 2014, ao MP:

https://docs.google.com/viewerng/viewer?url=http://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2014/08/Repres_MPPR.pdf

Comentários encerrados.