Ivo Pugnaloni: O legado de Fidel Castro para o Brasil e o mundo

ivo_lula_fidelIvo Pugnaloni, em artigo especial para o Blog do Esmael, neste domingo (27), afirma que o comandante da revolução cubana Fidel Castro deixou um legado para o Brasil e, sobretudo, o mundo. “Mais Médicos, por exemplo, um programa que milhões de brasileiros, nossos patrícios, graças a Fidel tiveram disponível, salvando vidas, diminuindo sofrimento, gerando esperança e qualidade de vida”, escreve o articulista.

Por Ivo Pugnaloni*

Morreu Fidel, em paz. Na ativa. Escrevendo artigos. Comparecendo ao ultimo congresso do PC Cubano. Deixando exemplos, memórias e História.

E bem depois, pois assim quis o próprio Deus, muito depois que seus principais inimigos e detratores, que tentaram mata-lo mais de 600 vezes.

Entre os quais, nunca esqueçamos, Roberto Marinho.

Que saibamos aproveitar seus feitos, sua dignidade e firmeza.

Bilhões de pessoas vão comentar esse assunto hoje, pelo viés da mídia-corporativa mundial, controlada pelo consórcio do mal : “ditador”, “sanguinário”, “ladrão”, “corrupto”…

Muitos, enganados e manipulados, completamente governados por um sistema de controle brutal das consciências e principalmente, os que nunca conheceram nada sobre ele, vão fazer piadas, dizer “já foi tarde”…

Mas entre esses “sábios” , não estarão as centenas de milhões de africanos que se livraram do regime racista que com certeza iria escravizar Angola, Moçambique e Guiné não fosse o apoio das FA Cubanas e de Fidel.

Não os milhões de cubanos, nicaraguenses, salvadorenhos, venezuelanos, bolivianos, chilenos, brasileiros, e tantos outros povos que tiveram em seus países, de alguma forma o apoio cubano não apenas nas ideias e no exemplo de como resistir, resistir e vencer, mas na medicina, na educação, no avanço tecnológico.

Mais Médicos, por exemplo, um programa que milhões de brasileiros, nossos patrícios, graças a Fidel tiveram disponível, salvando vidas, diminuindo sofrimento, gerando esperança e qualidade de vida.

E isso sem que os milhões de atendidos nunca tenham ouvido falar de Fidel quando estavam sendo atendidos.

Afinal, ele nunca foi lembrado pelos nossos líderes, em nenhuma inauguração de unidade de saúde, em nenhum momento, nem com um simples agradecimento formal, uma lembrança, mesmo pequena, tenha sido feita de homenagem àquele ancião agora, que estava na origem da presença de tantos novos profissionais de saúde atendendo o nosso povo.

Com seu medo pueril e quase cúmplice da TV Globo, plagiando Simão Pedro, esconderam o quanto puderam não só a origem, o conteúdo, os feitos dos valorosos profissionais de Cuba em outros países, com programas similares…Mas acima de tudo, e principalmente, esconderam Fidel. Como se ele não merecesse ser lembrado. Como se lembra-lo iria “pegar mal”.

Fidel é a origem do Mais Médicos pois ele é e será sempre origem do programa, ao ter aberto a universidade aos mais pobres em Cuba e assim capacitar o povo cubano, os cubanos humildes a serem mas médicos e muito bons médicos, humanos e não robotizados pelo capital.

E isso, esse esquecimento de Cuba e de Fidel, essa “vergonha” , essa “amizade” que quiseram o tempo todo esconder, ao invés de se orgulhar, o fizeram tendo motivos, tendo poder e tendo obrigação até por uma questão de honestidade, de mostrar. Até para reforçar, usando a inteligência, o também combatido programa de Cotas nas Universidades, mostrando como, também nessa área, a Cuba de Fidel inovou, transformou, colhendo frutos em outras áreas como da Saúde Popular.

A Cuba de José Martí nos deu não apenas Fidel e Che ( embora argentino de nascimento e de alma ) mas milhares de médicos, professores, soldados, engenheiros, jornalistas, trabalhadores, que foram assassinados em outros países defendendo e trabalhando por causas mais do que nobres, quase sagradas, ombro a ombro com as pessoas dessas terras.

A melhor forma de homenageá-los é nesse dia, fazermos uma reflexão sobre o Comandante Fidel Castro que concebeu e dirigiu essa legião de valorosas mulheres e homens, nessas missões.

E se possível for transformá-la em palavras, compartilhá-las com nossos amigos e parentes.

Principalmente nossos filhos, netos, sobrinhos, etc.

*Ivo Pugnaloni é engenheiro eletricista, empresário e militante do Partido dos Trabalhadores no Paraná.

Comentários encerrados.