Dilma diz em entrevista que Temer foi vendido como lebre, mas é gato; assista ao vídeo

dilma_temer_golpeA presidente eleita Dilma Rousseff (PT), afastada no golpe de Estado em 31 de agosto, afirmou nesta segunda (21) que Michel Temer (PMDB) foi vendido como lebre, mas é gato “aquém do Brasil e aquém do povo brasileiro”.

“Nesses seis meses, o que acho que ficou claro, que venderam gato por lebre”, disse Dilma ao jornalista Leonardo Attuch, editor do 247.

A presidente eleita afirmou que “prometeram, com o golpe, uma situação cor de rosa” no País, “venderam gato por lebre” ao defender o impeachment, mas que a crise só tem se acentuado.

Mostrando-se “garantista”, Dilma fez críticas às prisões preventivas da Lava Jato antes de os investigados serem condenados. “Eu não vou defender a prisão do Eduardo Cunha, se eles não prenderam antes… tem que explicar por que estão prendendo agora”, disse. “E mais: se a pessoa não tem meios para prejudicar a investigação, tem que responder em liberdade”.

Em referência à denúncia de tráfico de influência contra o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, Dilma diz que “a ambição do grupo que tomou o poder é do tamanho de um apartamento na Bahia”.

Incitada a definir Michel Temer, Dilma Rousseff disse que ele “está aquém do Brasil, aquém do povo brasileiro”. “Não é só que ele não lidera, ele não representa”, disse. “O brasileiro médio está além dele, o brasileiro pequeno está além dele”, concluiu.

Confira abaixo a íntegra da entrevista, que foi transmitida na página do 247 no Facebook:

Comentários encerrados.