De olho em 2018, Requião percorre o país

requiao_2018O senador Roberto Requião (PMDB-PR) percorre o país de olho nas eleições de 2018. Ele pensa na sucessão de Michel Temer (PMDB), alçado à Presidência da República graças ao golpe de Estado ocorrido em 31 de agosto deste ano.

Nas últimas semanas, Requião foi requisitado em várias capitais e cidades onde houve segundo turno. Exemplo disso foi Porto Alegre. Lá, o parlamentar apoiou Sebastião Melo (PMDB) e reuniu-se com uma frente desenvolvimentista gaúcha.

Continuando o périplo presidencial, Requião seguiu ontem (31) para São Paulo participar do programa “Jogo de Carta”, transmitido ao vivo pela internet, da publicação CartaCapital do jornalista Mino Carta (abaixo, assista a íntegra do vídeo).

Apoiado por um forte discurso antineoliberal, contra o desmonte do Estado e contra a PEC 55 (antiga PEC 241), Roberto Requião busca formar uma coalizão “desenvolvimentista” e “nacionalista” para retomar a economia e o pleno emprego no país.

Sabedor de que precisará de um partido nacional para concorrer em 2018, o senador Requião espera que o desfecho da Lava Jato que, segundo se fala nos bastidores, agora começará a enjaular a cúpula do PMDB e do governo Temer. O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha foi o primeiro a ver o sol nascer quadrado.

Caso não herde o PMDB, muito provavelmente, Requião mude de partido ainda em dezembro deste ano. Há flertes com a REDE de Marina Silva, com o PDT de Carlos Lupi e com o PSOL de Chico Alencar.

Comentários encerrados.