Richa tenta criminalizar a educação para desviar atenção e dar novo calote nos servidores do Paraná

enio_calote_richaO deputado Enio Verri (PT-PR), em sua coluna desta terça (11), acusa o governador Beto Richa (PSDB) de tentar criminalizar a educação e os movimentos sociais do Paraná. Segundo o colunista, o objetivo do tucano seria desviar a atenção para dar mais um calote nos servidores públicos do estado.

Richa tenta criminalizar a educação para desviar atenção e dar novo calote nos servidores do Paraná

Enio Verri*

Em um País, cujos princípios constitucionais são desrespeitados e a democracia golpeada, manifestação a favor de um ensino de qualidade, plural e de valorização do servidor público é criminalizada. Pelo menos é assim na terra governada pelo Beto Richa (PSDB) – o mesmo que jogou bombas contra professores e demais servidores em abril de 2015.

Em recente entrevista, novamente, o governador tenta criminalizar os movimentos sociais no Paraná. No momento, esbraveja contra o Movimento Ocupa Paraná, formado por alunos que ocuparam escolas estaduais contra a reforma do Ensino Médio, proposta por Michel Temer, e o calote do Governo do Paraná aos servidores da educação paranaense.

Richa – que há muito tempo escolheu seu lado e não é dos paranaenses -, acusa os manifestantes de não saberem os motivos que os levam a protestar, assim como, de serem baderneiros doutrinados pelos professores. Tristes palavras de um representante público que cada vez mais abusa do bom senso da população e dos educadores.

Culpando o Partido dos Trabalhadores (PT) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT), como fez durante todos os erros – e são muitos – de seu desgoverno, o tucano joga servidores públicos contra os paranaenses. Criminaliza os responsáveis pela qualidade no ensino e a formação dos estudantes paranaenses. Estudantes que dão show de cidadania ao exercer o direito de se manifestarem.

Ao governador – que bate recordes de rejeição no Estado – restam as ofensas e a torcida para que suas promessas sejam esquecidas. Engana-se o tucano ao pensar que a população escolherá o lado daquele que não cumpre acordos e trata servidor público com violência e descaso.

O mesmo que estufa o peito para dizer que o Estado é exemplo, empurra, novamente, os ônus de sua má gestão aos paranaenses. Propõe o congelamento de salários de servidores públicos – que aliado ao corte de recursos às universidades, escolas, departamentos públicos -, prejudica o desenvolvimento social e econômico do Paraná.

O estado, motivo de orgulho e de finanças em dia, hoje, é o mesmo que convive com o calote e tarifaços. A medida que congela os salários não só comprova a incompetência, como ainda, descumpre com o acordo firmado com servidores para a fim da greve dos professores no ano passado. Eis o desespero do governador com as manifestações nas escolas.

Quem sabe, se o governador se preocupasse menos em criminalizar os movimentos sociais e cumprisse com seus acordos e suas competências, o Paraná não precisaria se preocupar com a qualidade no serviço público e valorização dos servidores. Talvez, pudesse ainda, ser um aliado do povo contra a Lei de Reforma do Ensino Médio que pouco contribui para o conhecimento e formação de cidadãos.

*Enio Verri é deputado federal, presidente do PT do Paraná e professor licenciado do departamento de Economia da Universidade Estadual do Paraná. Escreve nas terças sobre poder e socialismo.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Não é diferente de Álvaro Dias, o botox ambulante, nem da paralização do ano passado. Ou seja, “nada de novo no front”.

  2. um comentario excelente que a não pode sumir numa cortina de fumaça que eles sempre jogam acusando e apontando o dedo, quem protesta contra eles são petistas comunistas sindicalistas que absurdo
    aspones comissionados e bem treinados para desqualificar igual o crápula governador faz em entrevistas compradas e cerimonia cheia de aspones macacas de auditorio

  3. Arrogante como sempre, burro como nunca. Já disse para alguns alunos que o governador acha que eles são umas amebas, ser manipulado.

  4. As acusações de Beto Richa aos manifestantes mostram o caráter autoritário do governador. Do alto de seu cargo, trata os paranaenses como cidadãos inferiores. Pra Beto Richa, quem não concorda com suas decisões, são criminosos porque, na sua capitania hereditária como o governador acha ser o Paraná, todos lhe devem obediência absoluta. Quem hoje mantém postura crítica ao governador faz bem à sociedade e por ela deve ser apoiado.

  5. Richa cumpre rigorosamente a cartilha neo liberal do entreguismo e como não poderia deixar de ser também torna se declarado inimigo confesso da educação e a exemplo do principal cacique tucanalia querendo limita la a quem nasce em berço esplêndido como em qualquer outro executivo do golpista partido.felizmente onde ha despertos eles não teram vida facil pra conduzir seus trambiques contra o povo.