Ministro dos Planos de Saúde apela para a baixaria na eleição de Maringá (PR)

Publicado em 18 outubro, 2016
Compartilhe agora!

enio_maringa_2016O ministro dos Planos de Saúde Ricardo Barros (PP), já investigado pelo MPF, partiu para a baixaria para tentar ressuscitar seu irmão, Silvio Barros II (PP), na disputa do 2º turno em Maringá (PR). A informação é do deputado Enio Verri (PT-PR), em sua coluna desta terça (18). “… desespero de quem se encontra 20 pontos atrás de seu concorrente”, analisa o colunista, que adverte: “a família Barros faz mal a Maringá”.

Ministro dos Planos de Saúde apela para a baixaria na eleição de Maringá (PR)

Enio Verri*

A política suja e rasteira se repete em Maringá. E, novamente, pelo mesmo grupo que há 12 anos manda e desmanda na cidade, acumulando escândalos, denúncias, processos, condenações, mentiras e o desrespeito com os maringaenses.

Encabeçado pelo candidato a prefeito, Silvio Barros (PP), condenado por improbidade administrativa e envolvido na Operação Riquixá, que investiga irregularidades na licitação do Transporte Coletivo, a coligação pepista se apega às mentiras e baixarias – desespero de quem se encontra 20 pontos atrás de seu concorrente, conforme pesquisa da INPE.

Repetindo o jogo sujo de outros anos, Barros cospe no prato em que comeu e agride lideranças políticas e agremiações que tanto contribuíram para Maringá. Irmão de Ricardo Barros, vice líder do Governo Lula e Dilma, a família agora ataca o Partido dos Trabalhadores, responsável pela liberação de mais de R$ 1 bilhão para Maringá. Em 2009, a cidade era o município que mais recebeu recursos por habitante no Brasil.

Barros mente ao dizer que herdou uma prefeitura em estado de calamidade em 2005. Conforme certidões da época, as contas públicas não só estavam em dia, como ainda, demonstravam a recuperação da economia e capacidade de investimento. Em 2000, quando assumiu a prefeitura, o partido encontrou um rombo de R$ 500 milhões.

Maior caso de corrupção revelado em Maringá, o esquema de Luiz Antônio Paolicchi e Jairo Gianoto (PSDB), apoiados pela família Barros, não só exigiu medidas criminais, como ainda, uma gestão pública competente que equilibrou as contas públicas e, ainda, sob diversas dificuldades, representou investimentos em saúde, educação, esporte, entre outras áreas.

Silvio Barros que recebeu a prefeitura com as contas equilibradas e contou com o expressivo investimento do Governo Lula apela a ignorância do eleitor. Desrespeita os maringaenses com o coronelismo, ameaças, descaso com o servidor público e o contribuinte.

No jogo de acusações, o PT reitera sua independência no segundo turno de Maringá. O Partido dos Trabalhadores defende o projeto político de inclusão, de políticas e desenvolvimento social. Da educação pública de qualidade, do transporte coletivo moderno e com preços acessíveis.

Projeto encabeçado pelo candidato Humberto Henrique. Vereador, respeitado, competente e de honestidade inquestionável, que não só contribuiu para uma cidade melhor e mais transparente, como também, provou que é possível um município mais humano e menos desigual.

Um projeto político que merece o respeito. Respeito pela sua história, recursos conquistados e contribuição para nossa cidade.

*Enio Verri é deputado federal, presidente do PT do Paraná e professor licenciado do departamento de Economia da Universidade Estadual do Paraná. Escreve nas terças sobre poder e socialismo.

Compartilhe agora!

Comments are closed.