Em nota, APP-Sindicato declara apoio às ocupações de escolas no Paraná

ocupacao_escola_paranaO sindicato dos trabalhadores na educação do Paraná, a APP-Sindicato, por meio de nota, declarou apoio às ocupações de escolas no estado. Neste sábado (8), de acordo com o movimento dos estudantes, já somam 50 estabelecimentos ocupados contra a reforma do ensino médio e o desmonte da educação.

As revindicações principais são a retirada definitiva da MP 746, a Lei Alexandre Frota, que elimina disciplinas do currículo, e da PEC 241, que congela investimentos na educação por 20 anos.

Além da manifestação dos educadores, pais e a comunidade escolar também estão declarando apoio à justa luta dos estudantes paranaenses. Portanto, mobilize-se você também e ajude a causa pela educação de qualidade, universal e gratuita.

A seguir, a nota oficial da APP, o maior sindicato do Paraná, que representa mais de 100 mil trabalhadores no magistério:

Nota da APP-Sindicato em apoio aos Estudantes

Estudantes paranaenses também estão mobilizados e ocupam escolas contra o desmonte da educação

A APP-Sindicato vem a público apoiar a ocupação dos Estudantes nas Escolas do Paraná e também no Brasil. A luta dos estudantes é a defesa da Escola Pública e de uma Educação Pública de Qualidade para todos e todas. Entendemos que suas reivindicações são legítimas. A App-Sindicato vem realizando um amplo debate com Educadores e Educadoras sobre as propostas que afetam a Educação e apoiando também a livre organização estudantil e as ocupações pacíficas.

No Paraná, 35 escolas já foram ocupadas, a mobilização ganha destaque em todo país. A adesão cresce a cada dia. Desde a última segunda-feira (03), quando houve a primeira ocupação no Colégio Estadual Padre Arnaldo Jansen, em São José dos Pinhais, mais 34 escolas já foram tomadas por jovens que protestam contra as reformas no Ensino Médio proposta pelo governo Temer, por meio de uma medida provisória que pretende mudar todo o ensino de forma arbitrária.

Organizados(as) pelos Grêmios Estudantis, União Paranaense de Estudantes Secundaristas (UPES) e pela União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES), os(as) estudantes protagonizam uma das maiores ocupações da história no Paraná. Durante a tomada das escolas, os(as) jovens organizam atividades culturais e debates sobre os projetos e medidas que afetam a liberdade de ensino e aprendizado. Eles(as) revindicam a retirada definitiva da MP 746.

Reafirmamos que queremos um amplo debate sobre qualquer mudança para a melhoria da Educação, principalmente do Ensino Médio, e não uma Medida provisória autoritária sem nenhum debate. Queremos a aplicação do Plano Nacional de Educação, lei 13005/14 que foi amplamente debatida com a sociedade, que prevê 10% do PIB para Educação e também a progressividade do período integral de aulas como as condições efetivas para sua aplicação.

“Nós repudiamos as propostas do governo Michel Temer que prejudicam a educação. Não vamos aceitar retirada de direitos dos trabalhadores/as, muito menos as decisões unilaterais e arbitrárias de mudança na educação. Esta é uma pauta dos/as educadores/as e dos/as estudantes. A APP saúda o esforço dos/as estudantes e afirma que este é um momento de unirmos forças para cobrar tudo que está sendo ameaçado”, defende o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão.

A Escola Pública é um direito social e constitucional. Mesmo com incessante ataque à democracia brasileira continuaremos na defesa dos direitos democráticos, na defesa dos direitos sociais e principalmente da Escola Pública de qualidade para todos e todas.

Direção Estadual da APP-Sindicato

Comentários encerrados.