Dia Professor, dias de luta contra retrocessos na educação; assista

Compartilhe agora!

Mensagem do Blog do Esmael aos Professores do Paraná e do Brasil. Dia do Professor, dias de lutas contra a tirania de Michel Temer, no Brasil, e calote de Beto Richa, no Paraná.

Olá,

Quero dar um abraço fraterno em cada Professor e Professora neste 15 de outubro, Dia do Professor.

É uma data emblemática para o Paraná e para o Brasil, pois é um momento em que um regime de exceção, instalado por um golpe de Estado, quer retirar direitos da educação, da saúde e do povo brasileiro.

O governo Michel Temer retoma a ideia da ‘escola que não pensa’ ao editar a Medida Provisória 746, a lei Alexandre Frota, que extingue disciplinas, reforma o ensino médio de maneira autoritária, sem discussão com a comunidade escolar.

O objetivo desse MP é formar mão de obra barata para o mercado de trabalho ao invés de formar cidadãos conscientes de seu papel transformador na sociedade.

O educador Paulo Freire já dizia que “não basta ler que ‘Eva viu a uva’. É preciso compreender qual a posição que Eva ocupa no seu contexto social, quem trabalha para produzir a uva e quem lucra com esse trabalho”.

Já o Projeto de Emenda Constitucional 241, a famigerada PEC 241, visa congelar investimentos na educação por criminosos 20 anos. Temer planeja surrupiar R$ 24 bilhões a cada ano da educação, o que perfaz R$ 480 bilhões no período — sem a devida correção.

A saúde perderá algo em torno de R$ 800 bilhões, o que significará muitas mortes por falta de atendimentos no sistema único de saúde – do qual muitos Professores são usuários.

No Paraná, Beto Richa quer ser o pioneiro na implantação da MP 746 porque ele almeja cortar “gastos” na educação para sobrar dinheiro ao exército de ‘come-dorme’ comissionados. Em virtude disso, mais de 500 escolas foram ocupadas pelos heroicos estudantes.

O momento é de grave crise política, moral e de ingovernabilidade no Paraná. E o Brasil está entregue a uma ‘junta financeira’ cujo objetivo é roubar as nossas riquezas naturais.

No Paraná, rouba-se a ‘escola inteira’ sem que ela esteja construída. O dinheiro desviado abasteceu campanhas eleitorais, como denunciou o Ministério Público na Operação Quadro Negro.

Aqui no nosso Paraná, o governador quebrou o estado pela quarta vez devido sua irresponsabilidade fiscal, e agora quer que Professores, funcionários de escolas e demais servidores públicos paguem a conta. Ou seja, Richa quer dar mais um calote revogando uma lei, acordada no ano passado, que pôs fim à histórica greve.

Sou testemunha de que não se trata de aumento no salário o que se reivindica. Apenas da reposição da inflação deste ano na data-base de janeiro de 2017, como propunha o governador Beto Richa, cuja lei foi aprovada na assembleia legislativa com o aval do Poder Judiciário.

Em virtude de o governador Beto Richa roer a corda, os educadores entrarão em greve nesta segunda-feira, dia 17. Novamente, caro Professor e cara Professora, conte com o meu apoio incondicional nesta empreitada justa e merecida.

Nesta data de hoje há que se comemorar o vigor dos trabalhadores do magistério, mas também há que se lutar para que não ocorra os retrocessos enumerados acima.

Por fim, proponho um desafio a todos os Professores, funcionários de escolas e demais servidores públicos do Paraná: coletar um milhão de assinaturas físicas – e outras duas milhões virtuais, na internet — para peticionar um novo pedido de impeachment do governador Beto Richa.

Mais uma vez, parabéns a cada Professor e Professora pelo seu dia.

Um abraço fraternal de Esmael Morais, seu parceiro de sonho, luta e esperança por um brasil mais justo e fraterno. Por um Paraná mais decente.

esmael_morais

Compartilhe agora!

Comments are closed.