Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Contra Richa e Temer, estudantes ocupam a UFPR, a mais antiga do país

temer_ufpr_richaA Universidade Federal do Paraná (UFPR), a mais antiga do país, de 1912, foi ocupada na noite desta segunda-feira (24) pelos estudantes contra a Medida Provisória 746, que reforma o ensino médio, e contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que congela os gastos públicos por 20 anos.

A ocupação da UFPR ocorreu algumas horas depois de o governador Beto Richa (PSDB) tentar criminalizar o movimento, em virtude de uma fatalidade no Colégio Estadual Santa Felicidade (SAFEL), e da ofensiva de organização fascista contra meninos e meninas que ocupam os estabelecimentos de ensino.

A ocupação dos universitários na UFPR contra a PEC 241 e MP 746, de Michel Temer (PMDB), também é em solidariedade aos estudantes secundaristas que resistem à campanha negativa de Richa e da velha mídia golpista.

Além da UFPR, as seis universidades estaduais estão ocupadas pelos estudantes e seus professores estão em greve há 8 dias — a exemplo do que ocorre com os trabalhadores educação básica no estado. Portanto, contra Temer e Richa, o Paraná está parado.

Assista ao vídeo dos Jornalistas Livres:

Abaixo, veja a íntegra da nota oficial do OCUPA UFPR:

NOTA OFICIAL SOBRE OCUPAÇÃO NA UFPR

Na noite da última segunda-feira (24) o Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná foi ocupado por estudantes da instituição. A decisão foi tomada em assembleia dos e das estudantes de Pedagogia, havendo adesão de alunos e alunas de outros cursos que também são contrários à PEC 241 e a MP 746. O movimento reforça apoio às ocupações dos secundaristas.

A Medida Provisória 746, que foi imposta sem diálogo com a comunidade estudantil, anula a obrigatoriedade do ensino das disciplinas de Sociologia, Filosofia, Educação Física e Artes.
A Proposta de Emenda Constitucional 241 congela por 20 anos o orçamento da educação, saúde e previdência. Altera também os critérios para cálculo das despesas mínimas nesses setores, que serão corrigidos pela variação da inflação do ano anterior, sem aumento real.

A UFPR sofrerá graves retrocessos, como a diminuição progressiva de recursos para estrutura universitária, investimento em assistência estudantil e em pesquisa, extensão e tecnologia.
Convidamos os e as estudantes da UFPR a comparecerem à Assembleia Geral de Estudantes, na quarta-feira (26) às 18h no pátio da Reitoria, para decidir os próximos passos desse movimento.

Comentários desativados.