Beto Richa planeja massacrar alunos que ocupam escolas no Paraná, denunciam educadores

richa_massacreO governador Beto Richa (PSDB) estaria ensaiando reprimir alunos que ocupam mais de 30 escolas no estado do Paraná. Eles protestam contra a reforma do ensino médio, corrupção na educação e calote nos professores.

Em 29 de abril de 2015, o governador determinou o massacre de 213 pessoas no Centro Cívico, em Curitiba, durante a histórica greve dos servidores públicos que lutavam contra o confisco da aposentadoria.

Segundo informações preliminares, o tucano está usando nesta quinta (6) órgãos como conselhos tutelares e procuradores de justiça para ameaçar os estudantes que protestam contra a reforma do ensino e o “conjunto da obra” do governo do PSDB — dentre as quais o desvio de R$ 50 milhões que seriam destinados à construção de escolas (Operação Quadro Negro).

“Informações de que a polícia e conselho tutelar estão entrando nas escolas e revistando os alunos a pedido da Secretaria de Estado da Educação”, confirma a denúncia o secretário de Imprensa da APP-Sindicato, Luiz Fernando Rodrigues.

No Colégio Estadual Desembargador Cunha Pereira, município de Fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba, por exemplo, o Núcleo Regional de Educação faz terrorismo dizendo que a polícia vai invadir o local para reintegrar o estabelecimento de ensino. No entanto, a comunidade escolar diz que só discutirá a possibilidade de desocupar a escola com um mandado expedido por um Juiz de Direito.

Educadores e demais servidores públicos deverão deflagrar greve geral a partir de 17 de outubro em todo o Paraná.

Abaixo, vídeo manifestação de estudantes no Colégio Agrícola de Palmeira, na região dos Campos Gerais:

Comentários encerrados.