Por Esmael Morais

APP-Sindicato denuncia aos Direitos Humanos aliança de Richa com fascistas no Paraná

Publicado em 24/10/2016

O governo Beto Richa ampliou uma política de terrorismo contra professores e alunos de escolas, com ameaças de penalidades administrativas, e a aliança do tucanato com organizações fascistas, a exemplo do MBL, visa o emprego de violência física contra grevistas e estudantes que ocupam as quase mil escolas no Paraná.

O ataque de Richa teve o condão de unir ainda mais a categoria, como explica Professor Paixão: “Não deixe que o medo te contamine. Não deixe esta marca em sua história profissional. Vamos ficar ao lado da categoria. O lado do governo só nos trará prejuízos e humilhações.”

A presidente da União Brasileira de Estudantes (UBES), Camila Lanes, denunciou que a polícia de Beto Richa não pode entrar nas escolas sem uma ordem judicial.

Abaixo, leia o comunicado de Hermes Leão:

PORTAL PÚBLICO DO PARANA CRIMINALIZA MOVIMENTOS SOCIAIS!
S.O.S ao Brasil e ao Paraná II.

Tenho relatado aqui as imensas preocupações a partir da conduta do governo Richa em estimular a organização de contrários/as às ocupações nas escolas. É nítido o aumento de condutas violentas referente a esse cenário.

Depois de ter sido pressionado por um grupo desses na Praça Nossa Senhora de Salete (29 de Abril), na tarde deste domingo, fiquei ainda mais preocupado principalmente ao ouvir que o próprio governador se reuniu para falarem das ocupações e claro criminalizar a APP.

O grupo que me assediou abriu em minha frente uma faixa, acusando o sindicato de estar organizando os/as estudantes. Também afirmou que o governador disse que atendeu a pauta de reivindicações, estamos aguardando o comunicado oficial…..!!!! Falei a eles que não estamos pedindo aumento como afirmaram, disse que data base é direito constitucional.

Então, fui ver o portal da Agência Estadual de Notícias, e a matéria encontrada me deixou ainda mais preocupado. Todo o texto é contra o movimento popular estudantil e ao mesmo tempo contra a greve.

Atentem que a matéria organiza a agenda contrária às ocupações. Não se encontra uma unica fala de algum aluno que houvesse ocupado o colégio citado.

Ora, temos recebido relatos de atividades maravilhosas realizadas na maioria das ocupações, palestras com educadores, oficinas de arte, esportes e danças…. conteúdos que a MP do Ensino Médio pretende retroceder.

Também não tem uma unica fala da pauta principal da ocupação nesta matéria do portal público, portanto sustentado com os recursos financeiros da sociedade paranaense.

Muito preocupante! Vamos ao Ministério Público, não é possível essa criminalização institucionalizada.

#NenhumDireitoaMenos
#ForaBetoRicha
#DataBaseéDívida
Professor Hermes Silva Leão, direção estadual da APP-Sindicato.